Revolução Farroupilha

– Ainda pego esse Moringue,
ou não me chamo Amaral!*
Venha em nome do Tinhoso,
negue a Pia Bastimal.

Nas cercanias de Bagé,
nas bandas do Arroio Quebracho,
Amaral mastiga pólvora
e aperta o barbicacho.

Aquela raposa velha
faz estragos em Bagé.
Lá me vou com minha Tropa,
botando asas no pé!

Defende-te com a direita,
salva-te pela canhota,
o Moringue está cercado
nas encostas de Candiota.

A Cavalaria rebelde
sobe repechos, banhados.
Entre mortos e feridos,
o Chico Pedro é baleado.

E dispara campo afora
como lebre ou avestruz.
Mas Amaral não o alcança,
Moringue corre com luz.

O Fuinha tem sete vidas.
Tão valente quanto esperto,
resolve saquear a Fazenda
do General Zeca Neto.

Quem vence sempre é padrinho
o perdedor não tem pai.
Chico Pedro e seus milicos
se embrenham pelo Uruguai.

Luis Coronel

Enviar comentário

Envie um comentário!
Digite o seu nome