Mais dicas de direção defensiva

Rubilar Barros.

Continuando a coluna da semana anterior, seguem mais dicas de direção defensiva que você deve aprender agora.

2) Atenção aos itens de segurança

Desenvolva o hábito de afivelar o cinto assim que entrar no veículo, antes mesmo de ligar o carro. Certifique-se também que todos os ocupantes façam o mesmo. As estatísticas de trânsito mostram que essa simples ação faz uma diferença gigantesca em relação aos danos causados por um acidente.

Ninguém espera sair de casa e sofrer um acidente de trânsito, mas é melhor prevenir do que remediar. Portanto, mantenha os itens de segurança em boas condições. Cinto para todos os ocupantes, freios, estepe e triângulo de sinalização, por exemplo, devem ser regularmente checados.

No caso de frotas corporativas, é preciso incluir os itens de segurança na hora de selecionar os melhores veículos para a sua empresa. Zelando pela saúde e segurança dos motoristas você garante melhor qualidade no serviço e, consequentemente, retorno financeiro para a empresa.

3) Mão no volante e atenção no trânsito

Mantenha as duas mãos no volante!

Esteja sempre com as mãos no volante e evite tirá-las para outras coisas além de trocar a marcha. Em um momento de risco é essencial que você esteja apto a manobrar rapidamente, de forma a prevenir uma colisão ou outros acidentes. Por isso, jamais utilize o celular ou fique com outros objetos que impossibilitem sua mão de desenvolver corretamente a atividade que você está fazendo.

É comum também que utilizemos o GPS ou outros aplicativos de localização no smartphone que nos auxiliam a chegar ao nosso destino. Por isso, mantenha o hábito de prepará-los antes de colocar o veículo em movimento e jamais utilize o celular enquanto dirige. O dispositivo utilizado para acessar o GPS, de acordo com a legislação, deve estar obrigatoriamente fixado ao para-brisa.

4) Mantenha uma distância segura dos outros veículos
Um dos tipos de acidentes mais comuns é a colisão traseira. Normalmente, ela é resultado de uma prática de direção que não considera o fator da distância entre os veículos. Isso pode parecer óbvio, mas muita gente acredita que é capaz de agir a tempo de evitar um acidente.

Acontece que, quando o veículo da frente freia, existe um tempo de resposta natural para que o motorista do carro de trás perceba e possa agir. Assim, por melhor que seja seu freio, ele acaba sendo acionado ao menos alguns centésimos de segundo depois, o que pode ser a diferença entre uma frenagem segura e um acidente.

Por isso, fique atento à distância que você deve manter do veículo da frente. Lembre-se de que, em caso de uma emergência, você precisará de espaço suficiente para parar seu carro e evitar uma colisão.

Da mesma maneira, evite ficar próximo demais de outros carros ou trafegar ao lado de caminhões e ônibus. Se você precisa passar por eles, faça isso e se afaste. Veículos longos possuem mais pontos cegos e seus motoristas podem estar cansados e desatentos, por isso é importante que você garanta uma distância segura.

Estudos mostram que, além de colocar em risco a segurança de todos, desrespeitar a distância de segurança entre veículos resulta em maiores congestionamentos pois, como dissemos, uma freada é respondida com atraso pelo veículo de trás. Isso gera um efeito dominó, deixando todo o trânsito mais lento até que seja criado um engarrafamento.

5) Mantenha o carro em boas condições
Tanto para o usuário comum como para profissionais, a saúde do veículo é importantíssima para que ele esteja preparado e responda aos seus comandos em momentos críticos. Faça as revisões no tempo previsto e fique de olho na integridade de itens como pneus, freio, suspensão e luzes de sinalização.

Quando um imprevisto acontece, uma manobra de emergência do motorista vai exigir um esforço maior dessas partes do carro. Por isso, é importante que motoristas estejam bem instruídos sobre como agir nessas situações e, também, que os veículos estejam em boas condições para não deixá-los na mão. Ter sempre a manutenção em dia ainda evita problemas mecânicos que podem colocar o condutor e outras pessoas em risco. Com o carro e o motorista bem preparados, muitos incidentes podem ser evitados.

Muitas vezes a falta de atenção ou comodidade pode fazer com que o motorista deixe de cumprir certos procedimentos que são obrigatórios e previnem acidentes. Por exemplo, o uso do cinto de segurança ou sinalização enquanto dirige, como é o caso da seta.

Confira mais dicas na próxima semana!

Enviar comentário

Envie um comentário!
Digite o seu nome