Um dia para valorizar a extensão rural

Emater/RS-Ascar atua em diferentes áreas na extensão rural, levando conhecimento aos assistidos. (Foto:Divulgação/Emater/RS-Ascar)

A próxima segunda-feira (6) marcará a celebração do Dia Nacional da Extensão Rural, uma área que está presente em diversos momentos do dia a dia. No campo ou na zona urbana, a produção de alimentos e outros bens consumidos pela população ganha a contribuição da extensão rural.

Auxiliando desde a etapa de concepção de projetos até a comercialização, a atividade envolve um grande número de profissionais, que se integram aos produtores, com o objetivo de contribuir para o desenvolvimento rural. Na região, o trabalho é conduzido pela Emater/RS-Ascar, presente em todos os municípios gaúchos.

“O mês de dezembro é o mês de comemoração a essa atuação da nossa Instituição, que executa o serviço oficial de Extensão Rural para a agricultura familiar do RS e que há mais de 66 anos desenvolve ações de fortalecimento e de melhoria de renda e das condições de vida de quem vive no meio rural de nosso Estado”, disse o presidente, Edmilson Pedro Pelizari.

Em todo o estado, foram mais de 200 mil famílias contempladas com a assistência técnica e extensão rural e social, sendo 162,4 mil agricultores familiares em 2020. Também foram atingidos assentados, indígenas, pescadores artesanais, pecuaristas familiares, quilombolas, agricultura urbana, agricultores empresariais e famílias que não tem a agricultura como única fonte.

“Em 66 anos, a gente está sempre levando novidade”, afirma o gerente do escritório regional da Emater, Ronaldo Maciel. Na região de Pelotas são 22 municípios, que contam com 97 exensionistas rurais, atuando nas áreas social, econômica e ambiental. São atendidas desde a apicultura até a segurança e soberania alimentar, por exemplo. Maciel explica que a extensão rural trata-se de um serviço de educação não formal, de caráter continuado, que se processa no espaço geográfico rural.

Instituição também foca na geração de jovens que podem, futuramente, atuar no campo. (Foto: Divulgação/Emater/RS)

Nesse sentido, um dos destaques do trabalho exercido é o conhecimento das especificidades de cada local, o que promove maior adaptação para cada realidade, impactando, em 2020, mais de 14 mil famílias da região, sendo 10.398 adultos, 150 crianças e 3.843 idosos. A estimativa é que cada família receba a visita de um extensionista nove vezes durante o ano.

Mesmo durante a pandemia de Covid-19, o trabalho não foi interrompido. “Hoje a gente dá orientação técnica por WhatsApp”, destaca Maciel. O contato presencial com os extensionistas foi interrompido momentaneamente, para evitar a transmissão do vírus.

Segundo ele, a crise sanitária acelerou uma mudança e avanços tecnológicos que já vinham ocorrendo, mas a proximidade e extensão com os assistidos não foi interrompida. A pandemia também trouxe uma maior variação de preços entre algumas das áreas em que a Emater presta assistência, o que demanda o trabalho também em torno da gestão das propriedades, equilibrando os custos de produção com a remuneração obtida.

Ronaldo Maciel, gerente regional da Emater, está há 24 anos na instituição. (Foto: Adilson Cruz/JTR)

Trabalhando há 32 anos na área da extensão rural, sendo 24 somente na Emater, Maciel destaca a criação de associações e cooperativas, o envelhecimento e renovação do meio rural, a ascensão e queda na implantação de culturas, as mudanças na matriz produtiva regional e, em todos esses elementos, a presença da extensão. A preparação dos futuros produtores também é um dos eixos da atividade, com a promoção de programas em municípios da região que estimulam o empreendedorismo e o ensino de gestão e práticas do campo, com foco na sucessão rural. Ao menos 75 jovens já foram impactados.

Um dos destaques é a formação de agroindústrias, que em 2020 somavam 151 na região, cadastradas no Programa Estadual de Agroindustria Familiar. “Hoje a extensão também está muito na comercialização”, disse. O trabalho da Emater, portanto, se estende da produção à venda. Para Maciel, hoje há maior espaço para essa área, inclusive com a presença destacada em eventos como a Expointer, a Fenadoce e a Expofeira Pelotas, por exemplo. O trabalho da Emater é exercido por contrato com a Secretaria Estadual de Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento.

Confira dados da Emater na região

Municípios: Amaral Ferrador, Arroio do Padre, Arroio Grande, Canguçu, Capão do Leão, Cerrito, Chuí, Herval, Jaguarão, Morro Redondo, Pedras Altas, Pedro Osório, Pelotas, Pinheiro Machado, Piratini, Rio Grande, Santa Vitória do Palmar, Santana da Boa Vista, São José do Norte, São Lourenço do Sul, Tavares, Turuçu

Extensionistas: 97

Público atendido em 2020: 14.391 pessoas (Crianças, adultos e idosos)

Áreas na extensão rural: apicultura, bovinos de leite, piscicultura, bovinocultura de corte, soja, segurança e soberania alimentar, solos, reservação de água e irrigação, milho grão e silagem, pêssego, olericultura, uva, cebola, tomate, defesa sanitária animal, juventude rural, artesanato, morango, saneamento básico, turismo rural, ovinocultura e agroindústrias.

Enviar comentário

Envie um comentário!
Digite o seu nome