Ônibus, Covid-19 em Pelotas, Prioridades, Armas e mais

Sérgio Corrêa, jornalista e radialista.

ÔNIBUS

Em Pelotas, é recorrente a reclamação sobre os horários do transporte coletivo, principalmente à noite. Trabalhadores, estudantes e até mesmo pessoas que recebem alta no Pronto Socorro no período da noite, alegam que não tem como retornar para casa utilizando o transporte público. Segundo relatos, os ônibus circulam no máximo até ás 21 horas. Fazer o quê?

CRESCE O NÚMERO DE CASOS DE COVID-19 EM PELOTAS

Na quinta-feira, dia 23, Pelotas registrou 44 novos casos. No mesmo dia haviam 354 pessoas isoladas. Na última quinta-feira, dia 30, foram registrados 82 novos casos e 606 pessoas isoladas. Em uma semana quase dobraram o número de casos e o número de pessoas isoladas. Será que a Secretaria de Saúde ou a Vigilância Epidemiológica tem alguma explicação?

ENQUANTO PELOTAS TEM PROBLEMAS DE TODA ORDEM, ALGUNS VEREADORES DISCUTEM A QUESTÃO DO ARMAMENTO

Em Pelotas, acumulam-se reclamações sobre falta de médicos em UBSs, sobre o transporte coletivo que inexiste à noite e nos finais de semana a população espera mais de 1 hora na parada, lâmpadas de Led recém-instaladas e já não funcionam, outras acesas 24 horas, sobre o péssimo estado de conservação do Cemitério da Boa Vista, no Bairro Sanga Funda, abrigos de ônibus com vidros quebrados e estruturas danificadas, o capim tomando conta da cidade, buracos tanto no asfalto, quanto nas ruas de terra, atraso no repasse de verbas a hospitais e instituições assistenciais, trânsito com obras que não são concluídas desde o primeiro mandato da prefeita, perturbação do sossego com som e festas espalhadas pela cidade, Avenida Dom Joaquim com aglomerações todos os finais de semana, e como não há banheiros no local, a porta das casas dos moradores da rua Volnei Vieira e adjacências se transformam em latrinas, obras infindáveis que não são concluídas como a ETA São Gonçalo prevista para terminar em novembro de 2019 e até hoje não foi concluída, o castra-móvel novinho chegou faz mais de um ano e não foi utilizado… Vamos parar por aqui, elencar os problemas de Pelotas requer algumas páginas.

No parágrafo anterior relacionamos alguns problemas citados pela população com o objetivo de tentar compreender o comportamento de alguns vereadores. De um lado temos os cidadãos e cidadãs “eleitores” se manifestando com profunda insatisfação e indignação devido às condições que se encontra a cidade, de outro estão alguns vereadores aprovando uma moção proposta pelo vereador Anderson Garcia de repúdio às restrições de armas no país. Cabe lembrar que a legislação sobre armas é uma matéria de âmbito e competência federal.

Pelo visto, para alguns vereadores, os problemas de Pelotas são secundários na ordem do dia na Câmara.

É IMPORTANTE FALAR DE ARMAS?

Vamos trazer informações necessárias ao esclarecimento do leitor(a) a respeito de armas. Quando falamos em armas de uso restrito, faz-se necessário uma pergunta: uso restrito de quem? Polícias e Exército.

A partir de maio de 2019 o governo federal, através de decreto, alterou a condição de uso restrito de algumas armas como fuzis semiautomáticos, rifles de precisão e pistolas de calibre pesado, permitindo que sejam compradas por civis. Sendo assim, é importante lembrar o que diz a legislação. Crimes cometidos com armas de uso restrito tem penas maiores. Já os crimes cometidos com armas que não são de uso restrito a pena menor.

Quando o governo extingue a condição de uso restrito, a pena atribuída a um homicídio cometido com um fuzil semiautomático ou com uma pistola de calibre pesado será menor, portanto, equivalente ao crime cometido com um revólver calibre 22.

O que o leitor precisa saber é que a diminuição da pena em caso de crime será concedida ao cidadão e ao bandido também.

Enviar comentário

Envie um comentário!
Digite o seu nome