Logística ou desorganização?

Sérgio Corrêa.

LOGÍSTICA OU DESORGANIZAÇÃO?

Pelotas, contrariando a lógica e o Programa Nacional de Imunização, aplicará segunda dose da vacina CoronaVac em jovens de 21 anos antes de aplicá-la nos jovens de 22 anos.

Há um mês, os jovens de 22 anos receberam a CoronaVac em 17 de agosto e os de 21, no dia posterior, em 18 de agosto. No entanto, para a surpresa das famílias e dos jovens de 22 anos, o calendário da segunda dose, divulgado em 8 de setembro nas redes sociais da Prefeitura de Pelotas, não trazia nenhuma informação acerca da referida faixa etária, mas já apontava o dia 18 de setembro como data da segunda dose para os de 21 anos.
Para uma surpresa maior ainda, a indignação tornou-se completa nesta terça-feira, quando a Prefeitura divulgou que a data da segunda dose dos jovens esquecidos pelo calendário será apenas no dia 21 de setembro, próxima terça-feira, após diversos dias sem vacinação na semana anterior.

O questionamento que surge não é acerca da data, mas sim sobre qual é o motivo e a lógica de inverter as idades, contemplando os jovens de 21 anos com a segunda dose em detrimento dos de 22, que receberam a primeira dose antes e, por óbvio, deveriam receber a segunda dose primeiro. A resposta da Vigilância Epidemiológica foi rasa ao afirmar que era “uma questão de logística”, principalmente quando, durante a semana, na segunda e na quarta-feira, não tivemos vacinação e não teremos no domingo e na segunda, feriado de 20 de setembro.

Além disso, foi anunciada a primeira dose para jovens de 17 anos, na sexta-feira (17), e no sábado (18), no IFSul e nos bairros, respectivamente. Já que foi aberto outro local de vacinação na sexta-feira, além do drive e dos bairros, por que não vacinar os jovens de 22 anos nesse local, o IFSul?

Outra pergunta que recebi com frequência durante essa semana foi o motivo de diversos dias de vacinação contemplarem duas idades (drive de terça, 58 e 57 anos; drive de quinta 56 e 55 anos), por que não vacinar no sábado a segunda dose para 22 e 21 anos?

EMENDA PARLAMENTAR

A Câmara de Vereadores de Pelotas votou, na última semana, um projeto de lei que institui a emenda parlamentar impositiva, isto é, moeda de troca. Já existe em Brasília, foi instituída no estado, pelo Governo Eduardo Leite, e agora Pelotas adota a mesma prática.
Posiciono-me contra a emenda parlamentar, pois a execução do orçamento público, isto é, aplicar recursos públicos em obras é de competência do Executivo, não do Legislativo. Há muito tempo são vistas as relações de barganha entre o Governo Federal e o Congresso, uma vez que a Presidência da República retém recursos de emendas e somente os libera quando tem seus interesses atendidos pelos congressistas nas votações.

20 DE SETEMBRO

Quero parabenizar a população da Zona Sul que mantém viva a tradição comemorativa do 20 de Setembro. Contudo, devemos lembrar a frase estampada na bandeira do Rio Grande do Sul – “liberdade, igualdade e humanidade”.

A Revolução Farroupilha trazia consigo ideais de liberdade, contrários ao poder absoluto e autoritário da Monarquia Brasileira da época. Os revolucionários, em seu projeto de Constituição, estabeleciam uma República – a República Rio-Grandense, que foi proclamada e também estampa nossa bandeira.

Diante disso, meus amigos, gaúchos e gaúchas de todas as querências, espero que todos entendam o verdadeiro espírito farrapo, da Revolução Farroupilha e do 20 de Setembro, que é liberdade, democracia e República.

Ver gaúchos em frente aos quartéis, pedindo intervenção militar, é ver uma guerra contra a nossa própria história.

Enviar comentário

Envie um comentário!
Digite o seu nome