Região de Pelotas registra a maior estiagem de verão em 127 anos

Total de chuva (mm) no verão (dezembro, janeiro e fevereiro) no período de 1893/1894 a 2019/2020, média do período, e destaque para as cinco maiores estiagens ocorridas, de acordo com os dados da Estação Agroclimatológica de Pelotas/Capão do Leão-RS (EAPel) (Convênio Embrapa/UFPel/Inmet).

O total de chuva registrado no período de verão (dezembro, janeiro e fevereiro) de 2019/2020, foi de 100,4 mm, constituindo-se na menor quantidade de chuva registrada no período de 127 anos, ou seja, de 1893/1894 a 2019/2020. Esse valor representa cerca de um terço da média desse período, 330,8 mm, como indica o gráfico.

Nesse período, como indicado nas barras em vermelho do gráfico, outras quatro estiagens de menor intensidade foram registradas, a saber: 108,7 mm (1964/1965); 131,6 mm (1944/1945); 149,6 mm (1942/1943); 152,6 mm (1906/1907). Por outro lado, o maior valor registrado nesse período foi de 818,2 mm em 1997/1998, em decorrência do fenômeno El Niño daquele período.

Os dados foram registrados na Estação Agroclimatológica de Pelotas/Capão do Leão-RS (EAPel), da Embrapa Clima Temperado. A estiagem histórica verificada nesse verão provocou a decretação do “estado de emergência” nos municípios de Pelotas e Capão do Leão, com sérios prejuízos à produção agropecuária, causando também restrições ao uso da água pela população urbana. Os dados da EAPel serviram de referência para esses decretos.

A EAPel funciona desde o dia 1º de maio de 1888, sendo uma das mais antigas em funcionamento no Brasil. De 1º de maio de 1888 até 2 de junho de 1952 as observações foram realizadas no Posto Meteorológico da então Escola de Agronomia Eliseu Maciel, situada em frente ao Mercado Público da cidade. A partir de 3 de junho de 1952, as observações passaram a ser realizadas onde hoje situa-se a Estação Terras Baixas (ETB) da Embrapa Clima Temperado, município de Capão do Leão. A EAPel é operada por meio de um convênio entre a Embrapa Clima Temperado, a Universidade Federal de Pelotas e o Instituto Nacional de Meteorologia.

A Estação completará 132 anos no dia 1º de maio de 2020 e tem desempenhado um papel de destaque como suporte à pesquisa, ao ensino, ao setor agropecuário e a diversos segmentos da sociedade civil da região de Pelotas/Capão do Leão. Além desses benefícios, a EAPel tem um valor extraordinário para estudos sobre mudanças climáticas pela disponibilidade de longas séries de dados meteorológicos, indispensáveis para esses estudos.

Enviar comentário

Envie um comentário!
Digite o seu nome