ESPECIAL JTR: Emater busca a valorização e estimulação do produtor leiteiro em Cerrito

Da esq. para dir.: o técnico rural Marcus Duarte, o médico veterinário Hector Diaz, a técnica social Alessandra Rodrigues e o agrônomo Leandro Andrade (Foto: Vitória Leitzke/JTR)

Com um trabalho realizado durante todo o ano, o escritório municipal da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater-RS/Ascar) auxilia em questões como alimentação, sanidade e melhoramento genético, com o objetivo de promover a renda e a melhoria na produtividade dos produtores locais. Contribuindo com a organização e realização da Festa Municipal do Leite Jersey, a equipe formada pelo técnico rural Marcus Duarte, técnica social Alessandra Rodrigues, médico veterinário Hector Diaz e engenheiro agrônomo Leandro Andrade acredita que a festividade é o momento de estimular e valorizar os produtores rurais e a agricultura familiar de Cerrito, além de ser uma confraternização.

Segundo o técnico rural Marcus Duarte, apesar da crise que atinge a produção, o leite ainda é a atividade que mais congrega famílias no município, fechando 2018 com o índice de oito milhões de litro/ano. “Com o programa Mais Formal, tentamos diminuir o custo no trabalho do dia a dia, com diminuição de maquinários e insumos, através da assistência técnica para melhorar a produção e a qualidade”, explica.

“O produtor leiteiro produz para depois saber o preço que ele vai vender, com isso nós só podemos reduzir custo, não podemos aumentar. Então toda a assistência técnica é voltada à redução de gastos para que ele sempre tenha uma margem de segurança. Trabalhamos para que eles tenham animais mais produtivos, com mais leite, e menor custo de insumos”, acrescenta o veterinário Hector Diaz.

Atualmente, a festa contempla 55 animais da raça Jersey, com 12 produtores, e a exposição de 30 ovinos, de nove produtores. O escritório municipal atende mais de 480 famílias. Além disso, quatro empresas do setor de laticínios atuam no município: a Lactalis, a Latvida, a Pomerano e a Cosulati.

Ainda em fevereiro deste ano, na localidade Alto do Brião, 17 famílias receberam certidão de autodefinição, sendo oficialmente reconhecidas como quilombolas pela Fundação Cultural Palmares, formalizando a criação da Comunidade Quilombola Emília de Moraes, homenageando a avó do líder do grupo, Edes Moraes, que foi escravizada no município.
Para a técnica social Alessandra Rodrigues, o órgão busca, além de assistir os dois grupos remanescentes quilombolas, promover ações voltadas à saúde, à assistência social, promovendo o acesso à direitos. “O Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) e o Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) auxiliam também na renda de cerca de 30 famílias, ajudando não só quem produz, mas quem recebe e consome os alimentos”, destaca.

Os produtores que participam da 15ª Festa Municipal do Leite Jersey serão beneficiados pela Prefeitura de Cerrito com o frete de uma carga de calcário ou com 5 horas/máquina da patrulha agrícola. Ainda, eles contam com transporte dos animais para o evento, realização de exames por médico veterinário antes da festividade e alimentação dos animais durante a festa, sem custo ao produtor. “Temos também a premiação em dinheiro, ao redor de R$ 1,2 mil, dividido entre os produtores conforme melhor classificação no concurso do gado leiteiro, formado por cinco categorias: terneira menor, terneira maior, novilha, vaca em lactação e vaca em descanso (seca)”, explica Duarte.

“Queremos valorizar estas pessoas, uma maneira de estimular. Esse final de semana é uma confraternização para as famílias. Os shows hoje são muito importantes, pois não há mais lazer no rural. Antes se via bailes no meio, mas hoje não tem muitos”, complementa o técnico rural.

Nesta sexta-feira (18), haverá uma reunião técnica para estimular em relação à pastagem, ao plantio direto e à alimentação animal, aberta para produtores interessados. A partir de sábado (19), o público poderá prestigiar exposição de ovinos, bovinos, máquinas, implementos, produção da agroindústria familiar (como queijo, iogurte, pão, bolachas, produtos in natura, doces, cucas e lã) e artesanatos.

Além da festa, a Emater Municipal está desenvolvendo um projeto de turismo rural no município. Conforme Alessandra, as primeiras reuniões para definir se há a possibilidade de realização estão sendo feitas. Até o momento, algumas famílias já demonstraram interesse em participar.

Enviar comentário

Envie um comentário!
Digite o seu nome