Jovem casal de Arroio Grande mantém a vida com foco na produção

Cibelle Peres, de 30 anos, atua ao lado do esposo Diego Joaquim Lemos da Conceição na produção de hortaliças e morango. (Foto: Arquivo Pessoal)

Arroio Grande é um dos municípios da região referência no desenvolvimento da agricultura familiar. Diversas são as famílias que ajudam a desenvolver a economia local através dos princípios que norteiam o cultivo de uma diversificada linha de produção que dia a dia ganha a mesa da comunidade.

A jovem Cibelle Peres, de 30 anos, faz parte desse grande grupo de trabalhadores que fazem o bom uso da terra para o sustento familiar. Ao lado do seu esposo, Diego Joaquim Lemos da Conceição, de 31 anos, e da sogra, Eva Marisa Lemos da Conceição, a família mantém uma propriedade na localidade da Airosa Galvão, cerca de 30 km de Arroio Grande. Na propriedade são produzidas uma variedade de hortaliças como repolho roxa e verde, couve, alface, mostarda, tomate, pimentão, cebola, brócolis, couve-flor, beterraba, ervilha, batata doce, milho verde, milho, feijão, abóbora e principalmente o morango.

“Eu sempre gostei de tudo referente ao meio rural, foi aí que meu esposo e eu resolvemos plantar morangos, tudo começou aos poucos, daí foram surgindo mais oportunidades e nós fomos expandindo cada vez mais os produtos cultivados. Hoje temos muitas culturas, embora o morango seja o forte da produção”, afirma.

Para fortalecer a comercialização, a família participa de um projeto junto ao Sindicato dos Trabalhadores Rurais, que oportuniza que a produção seja vendida para o mercado institucional.

O desenvolvimento da agricultura familiar no município é repleto de desafios, nesse caminho Cibelle destaca que as adversidades climáticas são um dos fatores que prejudica o desenvolvimento do cultivo e o valor da comercialização dos produtos.

“O período de estiagem nos atinge muito, se perde grande parte dos produtos cultivados, e quando chega o período das chuvas, por vezes acaba chovendo demais e ventando muito, e com isso também se perde muita coisa, temos também a questão de preços, o comércio em geral não contribui muito com o pequeno agricultor, sempre querendo preços muito abaixo”, declara Cibelle ao refletir a realidade do setor.

No entanto, apesar das dificuldades a agricultora avalia que ainda é possível viver somente da renda oriunda da agricultura familiar. A produtora, ao lado de Diego, são a representação de dois jovens que buscam se manter na atividade rural, destacando a importância da permanência na atividade rural, trazendo a inovação necessária para a manutenção da propriedade.

Enviar comentário

Envie um comentário!
Digite o seu nome