IPE Saúde reajusta valores de remuneração para procedimentos médicos

Participantes do encontro destacaram que medida irá melhorar atendimento ao usuário do IPE Saúde. (Foto: Nabor Goulart/Ascom Casa Civil)

Em reunião na Casa Civil, no Palácio Piratini, na segunda-feira (27), o IPE Saúde anunciou o reajuste da tabela de valores repassados aos médicos por procedimentos. A revisão dos honorários era uma reivindicação de entidades médicas e dos profissionais credenciados no instituto. No reajuste foram contemplados 95 procedimentos indicados por 22 especialidades médicas vinculadas à Associação Médica do Rio Grande do Sul (Amrigs).

A partir dos procedimentos elencados, ocorreram análises técnicas para definir o padrão de atualização dos valores de cada procedimento dentro do teto financeiro estabelecido. Além de critérios técnicos, que priorizaram os procedimentos mais prevalentes e com valores mais defasados, a equipe multidisciplinar do IPE Saúde definiu um maior reajuste para procedimentos relacionados à natalidade e à valorização da vida – como o parto normal e a cesariana, que tiveram quase 200% de aumento.

“É nestes momentos que ficam mais visíveis os efeitos das reformas no Estado feitas por esta gestão. O resultado vai aparecer na ponta, com a melhora do atendimento ao usuário do instituto”, disse o secretário-chefe da Casa Civil, Artur Lemos.

O novo reajuste tem um impacto financeiro anual calculado em R$ 81,5 milhões. O investimento se soma aos R$ 41,5 milhões previstos para a recomposição dos honorários de consultas médicas e aos R$ 17 milhões projetados no reajuste das visitas médicas hospitalares. Anualmente serão R$ 140 milhões a mais para os profissionais credenciados no instituto, valor que já era previsto para recomposição de honorários.

“O movimento de valorização do médico do IPE Saúde fundamenta-se nas premissas emanadas das sociedades médicas e no reconhecimento de defasagens históricas, mas também em critérios de bom senso e valorização da vida. É importante ainda reconhecer o trabalho exaustivo das áreas técnicas do instituto na implantação das melhorias”, afirmou o presidente do IPE Saúde, Paulo Afonso Oppermann.

Foto em ambiente fechado de uma sala com uma grande mesa, cercada por cadeiras elegantes. Junto à parte da mesa que aparece na foto, estão sentados nove homens; ao fundo, uma mulher está de pé. Na ponta da mesa está sentado Artur Lemos. As paredes são brancas, e há uma grande janela atrás de Lemos.
Anúncio do aumento foi realizado durante reunião na Casa Civil – Foto: Nabor Goulart/Ascom Casa Civil

Reestruturação

Os reajustes foram possíveis a partir do projeto de reestruturação do IPE Saúde, apresentado pelo governo e aprovado pela Assembleia Legislativa. A nova lei alterou o modelo de financiamento da autarquia, corrigindo a distorções que geravam déficit financeiro todos os meses.

Os novos valores dos honorários de consultas médicas e visitas hospitalares já haviam sido apresentados no mês de outubro e estão em vigor desde  1º de novembro. As consultas médicas realizadas em consultório foram reajustadas em 20%; já para as visitas hospitalares o reajuste chegou a 64,13%.

O secretário adjunto da Secretaria de Planejamento, Governança e Gestão (SPGG), Bruno Silveira, também participou da reunião na Casa Civil. Estiveram presentes ainda o presidente do Sindicato Médico do Rio Grande do Sul (Simers), Marcos Rovinski; o presidente da Associação Médica do Rio Grande do Sul (Amrigs), Gerson Junqueira Jr; e o representante do Conselho Regional de Medicina do Estado (Cremers) Luciano Hass.

1 comentário

Enviar comentário

Envie um comentário!
Digite o seu nome