Tradicional desfile de 20 de setembro encerra a semana dos Festejos Farroupilhas em Porto Alegre

O desfile dos cavaleiros foi o momento mais aguardado pelo público que acompanhava a celebração. (Foto: Rodrigo Ziebell/Palácio Piratini)

Depois de um amanhecer nublado em Porto Alegre, o sol apareceu e se espalhou pela Avenida Edvaldo Pereira Paiva, a Beira-Rio, onde ocorreu o tradicional desfile de 20 de setembro na manhã desta terça-feira.

O evento marca a data em que o Estado celebra o início da Revolução Farroupilha e o orgulho de ser gaúcho. O desfile foi retomado depois de dois anos sem ocorrer em razão da pandemia de covid-19 e encerrou a semana dos Festejos Farroupilhas.

O governador Ranolfo Vieira Júnior (PSDB) chegou ao local por volta das 8h, quando, a bordo do conversível Stutz, fabricado nos Estados Unidos em 1928, revistou as tropas no momento que antecede o desfile.

Depois de receber as honras militares e participar do hasteamento das bandeiras, o governador acompanhou o evento do palanque principal, ao lado de secretários de Estado, do prefeito de Porto Alegre, Sebastião Melo, e de outras autoridades. 

“Fomos brindados com um dia espetacular para esse lindo desfile que retrata a tradição, nossa história e cultura e toda a representatividade que tem o 20 de setembro para os gaúchos. Honra-me muito poder estar aqui como governador nesta data, que marca também uma retomada depois de dois anos com uma série de limitações impostas pela pandemia”, disse o governador.

Cerca de 2,5 mil pessoas se apresentaram na Beira-Rio. A primeira etapa foi destinada ao desfile cívico-militar, do qual participaram integrantes da Brigada Militar, da Polícia Civil, do Corpo de Bombeiros Militar, do Instituto-Geral de Perícias e da Superintendência de Serviços Penitenciários.

Em seguida, a União das Etnias de Ijuí (Ueti) e a 1ª Região Tradicionalista do Movimento Tradicionalista Gaúcho (MTG) realizaram o desfile “Etnias do gaúcho: Rio Grande, terra de muitas terras”, alusivo ao tema deste ano, que valoriza a diversidade do povo gaúcho. Representantes das etnias que ajudaram a construir a identidade gaúcha cruzaram a avenida com trajes típicos. 

Momento mais aguardado pelo público que acompanhava a celebração, a passagem dos cavaleiros começou por volta das 10h30 e contou com a participação de 25 grupos, entre Centros de Tradição Gaúcha (CTGs) e piquetes.

Enviar comentário

Envie um comentário!
Digite o seu nome