Redes sociais e sua influência na alimentação, consumo de frutose e a importância da vitamina D

Hospital Miguel Piltcher.

REDES SOCIAIS E SUA INFLUÊNCIA NA ALIMENTAÇÃO

Muitos de nós temos a sorte de poder escolher, pelo menos até certo ponto, aquilo que queremos comer. Quando abrimos o refrigerador ou examinamos as prateleiras do supermercado, existe uma variedade de opções disponíveis. Mas as decisões que tomamos sobre a nossa alimentação são tão independentes como gostaríamos? E se elas fossem influenciadas por algum outro fator além da fome e das opções que temos à nossa frente?

Basta pesquisar as redes sociais, como o Instagram, Twitter ou Facebook, para encontrar fotos e mais fotos de refeições em apresentações perfeitas e com aparência simplesmente deliciosa. O aroma e o sabor dos alimentos podem ter um efeito inegavelmente poderoso sobre os nossos anseios, mas as intermináveis postagens de lanches quentinhos e pratos resplandecentes podem ser mais que apenas um banquete para os olhos? Nós certamente somos muito influenciados pelas outras pessoas – especialmente as mais próximas – com relação ao que comemos. E nas redes sociais são onde as sugestões visuais e sociais se encontram – e é claro que existem evidências de que, se os seus amigos nas redes sociais postarem tipos específicos de alimentos com frequência, eles poderão fazer com que você os imite, para o bem ou para o mal. Pesquisas indicam que as redes sociais podem estar mudando o nosso relacionamento com a comida, fazendo com que pensemos de forma diferente sobre a nossa alimentação.

APRENDA A FORMA CORRETA DE CONSUMIR FRUTOSE

Quando ingerimos a frutose, não a ingerimos como tal, isolada, mas sim incorporada em sua embalagem natural (a própria fruta), com todos os demais componentes dela: fibras, minerais, vitaminas, etc. É por isso que devemos mastigar adequadamente cada pedaço que pegamos. O objetivo é misturar seus vários componentes, incluindo fibras abundantes, com nossa saliva e sucos digestivos. Isso faz com que a frutose contida na fruta entre lentamente em nosso corpo.

Assim, as células intestinais consomem grande parte da frutose que absorvem, de modo que muito pouco dela chega ao fígado pelo sangue para se transformar em gordura. Já quando consumimos uma grande quantidade de frutose presente em um doce, em um molho, em um sorvete e especialmente na forma líquida, como em uma bebida açucarada, a situação é muito diferente.

Inundamos nosso trato digestivo com frutose, dissolvida em água, que é rapidamente absorvida pelas células intestinais, mas a ponto de transbordá-las. Em seguida, essa frutose chega ao fígado, onde se transforma em gordura. O fígado é responsável por distribuir esse excesso de gordura por todo o corpo. Se esse consumo de frutose processada acontecer de vez em quando, não tem problema. Mas se consumirmos esses alimentos em abundância e com frequência, no longo prazo teremos problemas de saúde.

O excesso de gordura depositado em nosso corpo pode causar obesidade, diabetes, colesterol alto, etc.

VITAMINA D E SUA IMPORTÂNCIA NA SOBREVIVÊNCIA HUMANA

Todo mundo sabe da importância do protetor solar. Mas a verdade é que nossos corpos precisam de sol. A luz do sol pode melhorar nosso humor, diminuir a pressão arterial, fortalecer nossos ossos, músculos e até mesmo nosso sistema imunológico.
E basta uma breve exposição para colher todos estes benefícios. Basicamente, sem a luz direta do sol, nosso corpo não é capaz de produzir vitamina D, substância que desempenha uma série de funções importantes no nosso organismo. Quando a luz do sol atinge a pele, nosso corpo a absorve e a converte nesse poderoso nutriente. Nós precisamos de vitamina D, por exemplo, para que nosso organismo absorva cálcio e fosfato dos alimentos – ambos minerais são vitais para a saúde dos ossos, dentes e músculos. E não importa sua idade.
Um estudo recente mostrou, inclusive, que tomar vitamina D melhorou a força muscular de atletas, possivelmente por estimular o crescimento das células musculares. Mas os benefícios da vitamina D vão além de fortalecer nossos ossos e músculos. Pesquisas também mostram que pessoas com níveis muito baixos de vitamina D correm mais risco de doenças cardíacas, diabetes e demência.
A vitamina D é tão essencial para a nossa sobrevivência, mas não é o único benefício proveniente dos raios solares. Todos nós sabemos como a luz do sol nos faz sentir bem – isso porque a exposição ao sol melhora nosso humor, aumentando a liberação no cérebro de um hormônio chamado serotonina, que também ajuda você a se sentir calmo e focado.

 

Enviar comentário

Envie um comentário!
Digite o seu nome