Infecção urinária, forma correta de tomar remédios e a importância do magnésio

Hospital Miguel Piltcher.

INFECÇÃO URINÁRIA AFETA 50% DAS MULHERES

Os sintomas de uma infecção do trato urinário (ITU) incluem dor ou queimação ao urinar, vontade frequente ou repentina de fazer xixi, urina turva, com sangue ou com cheiro fétido, dor nas costas ou na parte inferior do abdômen e febre ou calafrios. Geralmente isso é causado pela bactéria Escherichia coli, ou simplesmente E. coli. Muitos outros micro-organismos também podem ser culpados pelo quadro, mas há poucas pesquisas sobre eles e também sobre as cepas ainda mais raras. Uma ITU pode causar cistite, uma inflamação da bexiga. Existem outros tipos de ITUs, mas a cistite é a mais comum. As ITUs são extremamente comuns, e afetam pelo menos metade do público feminino em algum momento da vida. Elas são especialmente prevalentes entre mulheres jovens e sexualmente ativas e aquelas na pós-menopausa, hormônios e anatomia são fatores que entram em jogo. Mulheres e meninas são especialmente afetadas porque têm uretras mais curtas do que os homens. Isso facilita a chegada das bactérias à bexiga. Embora as ITUs sejam classificadas como doenças infecciosas, elas não são contagiosas. No entanto, a bactéria responsável pode ser transmitida de pessoa para pessoa durante a relação sexual. Vale destacar que os homens também podem ter uma ITU, especialmente quando são mais velhos. Em lares de idosos, as infecções urinárias são o tipo mais comum de condição provocada por micro-organismos. No mundo, as ITUs afetam cerca de 150 milhões de pessoas a cada ano, mas esse problema já generalizado certamente se tornará ainda mais comum à medida que o mundo envelhece.

FORMA CORRETA DE TOMAR OS REMÉDIOS

Para muita gente, começar o dia sem café é impensável. Mas, em alguns casos, quando tomamos certos medicamentos pela manhã, é melhor esperar um pouco antes de pegar sua xícara. Alguns remédios podem ser tomados em diferentes horários do dia, mas também é recomendável não ingeri-los com líquidos que contenham cafeína – como chás e chocolate quente. Quando tomamos um medicamento, ele percorre nosso organismo — uma vez no estômago ou no intestino, ele passa para a corrente sanguínea e, na sequência, é distribuído por todo o corpo. Este medicamento deve chegar ao local em que executará a ação para a qual foi desenvolvido, seu alvo farmacológico. Pense nesse alvo como o ponto estratégico para tratar uma doença, a proteína dentro do nosso corpo — o receptor que o medicamento vai ativar ou bloquear — sobre a qual exercerá seu efeito. E para que isso aconteça, ele precisa ser absorvido e distribuído de forma eficiente. Depois, esse remédio tem que ser metabolizado, ou seja, eliminado do corpo — e o principal órgão nesse processo é o fígado, que se encarrega de purificar nosso organismo. Mas o que acontece se o café for adicionado a essa jornada? Depende do medicamento e da sua finalidade. Lembre-se que a cafeína é um estimulante do sistema nervoso central, que pode causar agitação e pressão alta. Se estamos falando de um medicamento destinado a produzir um efeito sedativo ou tranquilizante, misturar com café ou qualquer bebida com cafeína vai ser prejudicial porque vai neutralizar os efeitos da droga. Vários desses remédios pertencem à família dos benzodiazepínicos — usados, por exemplo, em tratamentos para ansiedade e insônia.

A IMPORTÂNCIA DO MAGNÉSIO EM NOSSO ORGANISMO

Nos últimos meses, vimos muitas conversas nas redes sociais sobre a importância dos suplementos de magnésio. Muitas pessoas afirmam que sintomas como dificuldades para dormir, tensão muscular e baixa energia são sinais de que você tem deficiência de magnésio e deveria tomar um suplemento. Ocorre que muitos de nós provavelmente temos alguma deficiência de magnésio. Pesquisas indicam que a maioria das pessoas não consome a quantidade recomendada do mineral para atender às necessidades do corpo humano. E também se estima que, nos países desenvolvidos, 10% a 30% da população apresentem leve deficiência de magnésio. O magnésio é um dos muitos micronutrientes necessários para que o nosso corpo permaneça saudável. Considerando sua importância para o corpo, se você não estiver ingerindo magnésio em quantidade suficiente, pode eventualmente ter uma série de problemas de saúde. Mas, ainda que a maioria de nós provavelmente apresente alguma deficiência de magnésio, isso não significa que você precisa buscar suplementos para garantir a ingestão do mineral em quantidade suficiente. Na verdade, com o planejamento correto, a maioria das pessoas pode conseguir todo o magnésio necessário na alimentação.

Por isso, é importante esforçar-se para manter um estilo de vida saudável, que inclui exercícios, bom sono e alimentação balanceada. Sem mencionar que as vitaminas e os sais minerais são mais bem absorvidos pelo corpo quando vêm de alimentos integrais.

Enviar comentário

Envie um comentário!
Digite o seu nome