Coluna do JC

Foram, viram e venceram
Guris crias de Piratini, se criaram jogando futebol no campo do seu Milóca – E. C. Piratiniense – simples, sem frescuras, amigos de todos, assim eram eles, mas num de repente alçaram voo. Foram em busca de novos horizontes e foi logo ali, fronteira com a capital farrapa, mais precisamente Canguçu, emalaram as tralhas e se foram ao novo mundo de mala e cuia com alguns “caraminguados” no bolso.

E daí?
Não faltou valentia, se foram à peleia na certeza da vitória. Aos poucos foram conquistando espaço, honestos, com a persistência dos vencedores, conquistaram seus espaços. O irmão Vilson, apelido “Piaza” – jogador da seleção por essas coisas da vida, partiu nas asas do vento, mas marcou sua passagem por aqui. Ficou o irmão, que seguiu seu rumo e hoje é um vitorioso no ramo imobiliário, tradicionalista ferrenho, criou um grupo de danças que percorreu o Brasil. É bom ser e ter amigos desse naipe.

Ele é…
Jaques Oliveira, 43 anos de trabalho sério e competente em toda região sul e além fronteiras – parabéns.

Foto: Reprodução/Facebook

Ponte do Alfaiate – a luta continua
A do Costa já era, agora é na outra, de madeira, com estrada tipo “duro na queda”. Ser farroupilha é viver com emoção – e bamo que bamo!!!

Enviar comentário

Envie um comentário!
Digite o seu nome