Vigilância Ambiental de Pinheiro Machado realiza busca ativa de barbeiros

(Foto: Divulgação)

Em Pinheiro Machado, a Vigilância ambiental está realizando buscas ativas dos vetores da doença de Chagas (Barbeiro). O barbeiro é um tipo de percevejo que se alimenta de sangue, podendo transmitir a doença de Chagas através da picada. Após picar uma pessoa, o barbeiro defeca sobre sua pele, eliminando grande quantidade do protozoário Trypanosoma cruzi, permitindo que o mesmo penetre no nosso organismo através da ferida da picada. O ato de coçar o local que foi picado aumenta a chance de contaminação. 

Os triatomíneos (barbeiros) são insetos que podem ou não estar contaminados pelo agente causador da doença de Chagas: Trypanosoma cruzi. Estes insetos, vetores da doença de Chagas, se alimentam de sangue de animais e humanos, e também de hemolinfa de baratas silvestres.

O Agente de Endemias, Rogério Lucas, explica como a população deve proceder ao encontrar o inseto. “A população deve usar luvas ou saco plástico sem furos ou rasgos para pegar o inseto e lacrar, não permitindo a saída do mesmo. O inseto pode ser entregue no Posto de Informação de Triatomíneo (PIT). Os Postos de Informações de Triatomíneos − PITs são locais escolhidos pela vigilância em saúde nos quais a comunidade pode entregar os insetos suspeitos”.

O município possui cinco PITs distribuídos nas diferentes localidades: Secretaria Municipal de Saúde (Sede da Vigilância); Unidade de Saúde da Família (USF) São João Batista; USF Passo do Machado; USF Vila Umbu e USF Torrinhas.

Lucas destaca que os procedimentos seguem os protocolos estabelecidos pelo Ministério de Saúde. “Após a confirmação do inseto é realizada a busca ativa na Unidade Domiciliar para averiguar a presença de outros exemplares no local”.

Os barbeiros abrigam-se em locais muito próximos à fonte de alimento e podem ser encontrados: na mata, escondidos em ninhos de pássaros, toca de animais, casca de tronco de árvore, montes de lenha e embaixo de pedras.

Nas casas escondem-se nas frestas, buracos das paredes, nas camas, colchões e baús, além de serem encontrados em galinheiro, chiqueiro, paiol, curral e depósitos.

É importante destacar que o parasita também é capaz de infectar outros animais além do homem, incluindo cães, gatos, porcos, roedores, gambás, morcegos, sendo estes importantes reservatórios para a transmissão da doença de Chagas para humanos.

A transmissão pela picada do barbeiro é a principal via, mas o Trypanosoma cruzi pode ser adquirido também de outras formas, como: Transfusão de sangue, Transplante de órgãos de doadores infectados, Alimentos contaminados por barbeiros, como caldo de cana ou açaí, Transmissão vertical da mãe para o feto durante a gravidez, Contato de pele ferida, mucosas ou olhos com sangue de pacientes infectados.

Com informações da Assessoria de Imprensa

Enviar comentário

Envie um comentário!
Digite o seu nome