Soldado Jéssica Furtado é a primeira mulher no efetivo do 4º Pelotão de Pinheiro Machado

Soldado Jéssica Furtado Borges. (Foto: Arquivo Pessoal)

As mulheres têm conquistado o seu espaço em diversas profissões, inclusive, naquelas que antigamente eram ditas masculinas. A força feminina está em todos os lugares e a mulher pode ser quem ela quiser. Trabalhar com a profissão que a faça feliz e ser a autora de sua própria história. 

A soldado, Jéssica Furtado Borges, 27 anos, conta que sempre gostou da área da segurança e aos 18 anos prestou o primeiro concurso para a Brigada Militar e foi aprovada. Acabou desistindo por insistência da mãe que achava que ela era muito jovem e considerava uma profissão de risco. 

A desistência foi por pouco tempo, Jéssica estava decidida e convicta que queria trabalhar na segurança. Aos 24 anos, mais segura e com o apoio da mãe, novamente fez o concurso e decidiu seguir carreira. Segundo ela, a família é a base, “o apoio da minha mãe nesta etapa foi crucial, sempre muito presente e me incentivando a crescer cada vez mais”, declarou.

A soldado fez o Curso de Formação em Bagé e fala sobre as dificuldades enfrentadas neste período. “A adaptação é um momento difícil, o treinamento e o tratamento são iguais a todos, dentro da corporação somos tratados da mesma forma, não há distinção de gênero o que facilita o trabalho”, conta.

Atualmente, ela atua no 4º Pelotão de Pinheiro Machado e é a primeira mulher a fazer parte do efetivo na cidade. “Em Pinheiro Machado trabalho só com colegas do sexo masculino, isso não é problema, somos parceiros, o respeito é mutuo, cada um desempenha sua função e tenho orgulho da profissão que escolhi e procuro sempre fazer o melhor”, relata.

A soldado fez o Curso de Formação em Bagé e atualmente atua no 4º Pelotão de Pinheiro Machado. (Foto: Arquivo Pessoal)

Sobre o trabalho no dia a dia a soldado afirma: “aqui a cidade é calma, o pessoal colabora. Noto que as mulheres, normalmente, se direcionam a mim e se sentem mais confortáveis para fazer os seus relatos”. E frisa: “Fico muito feliz quando meninas me encontram e relatam que querem ser policiais, incentivo e digo que a mulher luta e faz por merecer cada vez mais o seu espaço em todas as áreas”.

Quanto à vaidade feminina, a soldado revela que é possível ser bela usando farda. “A instituição prega a boa aparência, é permitido o uso de maquiagem, pintar as unhas, usar brincos, o cabelo deve estar sempre preso com coque, é bem tranquilo, nada exagerado”.

Para as mulheres que almejam conquistar o seu espaço no mundo profissional, a soldado citou a frase de Mary Kay Ash, “Não crie limites para si mesmo. Você deve ir tão longe quanto sua mente permitir. O que você mais quer pode ser conquistado”.

Enviar comentário

Envie um comentário!
Digite o seu nome