Pelotas: Câmara recebe terreno onde será construída a nova sede

Prefeita Paula Mascarenhas participa da abertura do edital para o projeto arquitetônico do novo prédio da Câmara de Vereadores - Foto: Gustavo Vara

Um ato com a presença da prefeita Paula Mascarenhas (PSDB) realizado na manhã desta terça-feira marcou a cedência de uma área de 4.500 metros quadrados no Parque Una para a construção da nova sede do Legislativo. A área foi repassada sem custo pela construtora Idealiza Urbanismo para a prefeitura atendendo a exigência legal de destinar 3% da área do empreendimento para uso público.

“Este é um momento histórico. Estamos recebendo este terreno sem custos. Depois de várias tentativas frustradas de encontrar outras áreas no Centro Histórico ou em outros locais, conseguimos contar com a sensibilidade da prefeita para entregar essa área, que é próxima ao Centro e no qual poderemos construir um prédio novo, sustentável e com acessibilidade como Pelotas merece”, diz o presidente da Câmara de Vereadores, Cristiano Silva (PSDB).

Apesar de ponderar sobre a preferência de que a Câmara permanecesse no Centro Histórico a prefeita Paula destacou como positiva a construção do novo prédio no Parque Una. “A Câmara de Pelotas nunca teve um espaço próprio e o Legislativo merece ter uma sede adequada porque representa a diversidade da sociedade e agora vai tê-la em um local muito qualificado, aberto pra todas as pessoas e com uma visão moderna de urbanismo”, declara.

Na próxima sexta-feira será aberto concurso para o projeto arquitetônico com premiação de R$ 100 mil e cujo vencedor será escolhido por uma comissão exclusivamente técnica formada por representantes das faculdades de arquitetura de Pelotas. Conforme o presidente Silva, a ideia é de que a licitação para construção da nova sede possa ser aberta ao longo de 2022 e o prédio inaugurado até o final de 2024.

Divergências

A opção pelo terreno do parque Una não foi consenso entre os vereadores. Integrantes da bancada de oposição demonstraram contrariedade com a escolha. “Fomos pegos de surpresa, essa é a verdade. Porque até a semana passada a única informação que se tinha era de um prédio na Fernando Osório e hoje pela manhã se fez um aviso de que haveria esse anúncio e não houve um debate sobre isso e entendo que isso seja muito ruim, porque o local é inacessível ao conjunto da população e afasta o Legislativo da população”, diz Jurandir Silva (PSOL).

O presidente da Câmara, por sua vez, responde às críticas argumentando que “quem critica a localização tem que saber que estamos a 300 metros do bairro Navegantes, a 200 metros do Cruzeiro, 200 metros do Foro, do Ministério Público, da Justiça do Trabalho, da Defensoria e próximo do Shopping Center, então esse discurso que não é acessível não é verdade”.

 

Enviar comentário

Envie um comentário!
Digite o seu nome