Pelotas: Treinamento simula atendimento a acidente com múltiplas vítimas na BR 116

Acidente reuniu equipes da Ecosul e outras instituições. (Foto: Adilson Cruz/JTR)

Com a participação de cerca de 60 pessoas, um treinamento realizado na manhã desta terça-feira (29) simulou o atendimento a um acidente com múltiplas vítimas e derramamento de produtos perigosos no km 523 da BR 116.

Utilizando também a alça de acesso de Pelotas à via, a ação promovida pela Ecosul, concessionária que administra trechos da via no Polo Pelotas, simulou a colisão entre um caminhão tanque carregado de óleo diesel, um caminhão container, um veículo de passeio e uma van, com 13 passageiros.

“O simulado é uma ação que a gente faz, pelo menos, uma vez por ano, para treinar o tempo de resposta das nossas equipes, os nossos recursos”, explica a coordenadora de sistema rodoviário da concessionária, Liliane Ferrari. Segundo ela, o treinamento é feito para que haja o máximo de necessidade de utilização dos recursos disponíveis, de veículos a ambulâncias. “Hoje, por exemplo, nós vamos precisar, além das nossas ambulâncias, do apoio do Serviço de Atendimento Móvel em Urgência, o SAMU”, disse.

Durante a ação, que contou a utilização de elementos que simulavam ferimentos e fraturas, os profissionais seguiram os protocolos utilizados em um atendimento real, como a classificação das vítimas de acordo com a gravidade, neste caso foram: nove leves, representados pela cor verde, quatro médias, com a cor amarela, e quatro vermelhas, para graves. “Nós, como resgatistas da Ecosul, temos que estar preparados”, disse o coordenador do Serviço Médico e Resgate da Concessionária, André Sokolovsky. Ele avaliou a experiência como positiva e que o retorno com as considerações sobre o trabalho será importante. “Me pareceu muito bem. As equipes desempenharam de forma adequada a sua função. O que importa agora é o feedback para que a gente possa melhorar os pontos que venham a ser identificados como defeituosos ou que precisem de alguma melhoria”, resumiu.

O gerente do Serviço Médico e Resgate, Giuliano Perdomo Bento, destaca que o treinamento é importante para a interação das equipes. “Em caso de situações como essa, tentar minimizar os erros, apontar os erros”, disse.

O tempo de resposta das equipes durante a ação, segundo ele, foi satisfatório. “Está dentro do programado. Geralmente, a gente preconiza, desde o acionamento, em no máximo 30 minutos chegar a primeira viatura no local. A primeira chegou em torno de três minutos”, destacou.

Para o atendimento do acidente foram utilizadas três ambulâncias do Serviço Médico e Resgate (SMR), uma viatura média, um guincho leve, um guincho pesado, três viaturas de inspeção de tráfego e SAMU. Além das equipes de diferentes setores da Ecosul, a ação teve a participação da Polícia Rodoviária Federal (PRF), Geo Ambiental e Corpo de Bombeiros.

O comandante do Pelotão de Bombeiros de Pelotas, tenente Gilberto, explica que a participação de membros da instituição em treinamentos deste tipo contribui para demonstrar o papel da corporação neste tipo de ocorrência. “Todo simulado é válido, através do simulado nós conseguimos identificar as falhas e acertos”, destacou.

Além de contribuir com o ajuste e coordenação das equipes, o simulado também foi uma oportunidade de aprendizado, pois as “vítimas” foram representadas por estudantes do curso de técnico em enfermagem de uma instituição de pelotas.

Na ação, a concessionária também contou com o envolvimento de equipes de inspeção de tráfego, operadores do Centro de Controle Operacional (CCO) e controladores de tráfego. Além disso, durante a operação as vias foram sinalizadas e os usuários orientados a fazer os desvios, necessários para o atendimento.

Confira fotos da ação

Enviar comentário

Envie um comentário!
Digite o seu nome