Bikepel já está disponível para pelotenses

Lançamento ocorreu nesta sexta-feira (4) (Foto: Vitória Leitzke/JTR)

Mobilidade econômica e sustentável. Foi lançado nesta sexta-feira (4) o Bikepel, com 100 bicicletas para a população, divididas em 14 estações. A proposta apresentada pela empresa Serttel – a mesma responsável pela Zona Azul – em junho deste ano, teve 90 dias para colocar em operação.

Para a prefeita Paula Mascarenhas (PSDB), com o lançamento, Pelotas se une às cidades mais modernas do mundo. “Cidades que se preocupam com a qualidade de vida da sua população e com a nova mobilidade urbana, que estimula o transporte alternativa, que olha mais para as pessoas do que para os veículos”, afirmou.

Apesar do mau tempo, que interferiu um pouco no evento, a empolgação da prefeita era visível. “A chuva, que parece que veio para atrapalhar, de certa forma é uma benção da natureza. Tem gente que gosta de andar de bicicleta na chuva, não tem problema. Para aqueles que preferem se resguardar, o sol não vai demorar a aparecer”, complementou.

Segundo o secretário de Transporte e Trânsito, Flávio Al Alam, as atuais estações foram escolhidas próximas a ciclovias e ciclofaixas. “Tentamos atender o máximo de bairros possível. São duas no Fragata (uma no IFSul e outra em frente ao 9º Batalhão). Em direção à Zona Norte nós temos na avenida Dom Joaquim, no parque Dom Antônio Zattera, na esquina da Anhanguera, do Krolow e na Praça do Colono. Já no Areal, temos no parque da Baronesa, no Parque Una e no Shopping. Na zona do Porto, temos na Faculdade de Direito e na frente da Beneficência Portuguesa – no Saúde Maior -, além da praça Coronel Pedro Osório, no Centro”, informa.

Neste primeiro momento, não haverá estações na Praia do Laranjal, entretanto, há a possibilidade numa próxima expansão, com o uso do Bikepel. “No Laranjal, no verão pretendemos colocar duas ou três estações, pois essas bicicletas não podem ficar muito longe uma das outras, o sistema funciona de forma que o usuário faça o deslocamento curto, de no máximo 15-20 min”, explica Al Alam.

O gerente comercial da Q-Free – empresa de tecnologia de identificação veicular – Robert Buchholtz conta que o app para utilizar o sistema já está disponível para as plataformas IOS e Android. “O primeiro passo é se cadastrar, depois disso, com o uso de um cartão de crédito, o usuário pode creditar um valor de sua opção e, com o app, achar a bicicleta que estiver mais próxima da sua localização. Achando a bicicleta, é só fotografar o QR Code localizado na traseira, confirma o uso e então o veículo é destravado, possibilitando o usuário de usá-lo”, orienta.

O sistema dockless permite que após o uso, a pessoa pode travar manualmente a bicicleta e deixá-la num ponto sem estação, dentro de uma zona pré-determinada. “Existe um mito que as pessoas querem roubar os equipamentos e a nossa experiência, desde de 2008, iniciada no Rio de Janeiro e depois em São Paulo, mostra que não é verdade. 99% das pessoas são do bem, utilizam bem o projeto, há aquelas que acham que tem algum valor comercial, o que não tem”, acrescenta o gerente.

Estiveram presentes também o deputado estadual Luiz Henrique Viana (PSDB), o presidente da Câmara de Vereadores, Fabrício Tavares (PSB), o vereador Éder Blank (Pataca) (PDT), o presidente do Saúde Maior, Francisco Serra, o representante da Serttel em Pelotas, Vítor Roger Barbosa, e representantes do Parque Una.

O usuário terá a opção de recarregar R$ 1,50 por 15 minutos, R$ 20 mensal ou outros valores de sua preferência após cadastrar um cartão de crédito no app.

Enviar comentário

Envie um comentário!
Digite o seu nome