Associação Quilombola Vó Ernestina realiza evento alusivo à Consciência Negra em Morro Redondo

Evento contou com a presença de representantes do Executivo, Legislativo e da comunidade. (Foto: Diones Forlan/JTR)

No sábado (20), foi realizado um evento na sede da Associação Quilombola Vó Ernestina alusivo ao Sia da Consciência Negra. Na ocasião, houve a apresentação do Bloco Vó Ernestina, de peças de roupas já confeccionadas pelo grupo de costureiras da comunidade, do trabalho da associação, um delicioso almoço e muita música com o Grupo Musical Serra do Sul, de Canguçu.

O coordenador de Programas da Secretaria Estadual de Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (SEAPDR), Sergio Dorneles, falou da importância de ter o reconhecimento das entidades governamentais e não governamentais pela data, mas reforça a importância da valorização também em todos os dias ao longo do ano. “Estes encontros servem para nós ouvirmos as demandas. Posteriormente, queremos implementar políticas públicas tendo o acompanhamento da Emater”, citou.

Dorneles comentou que, recentemente, foram entregues sementes crioulas aos quilombolas do município e que houve a assinatura de um convênio entre a SEAPDR e a Prefeitura para a construção de um galpão, ao lado da sede da Vó Ernestina, para guardar a patrulha e implementos agrícolas. O recurso tem valor de R$50 mil, oriundo do Departamento de Desenvolvimento Agrário, Pesqueiro, Aquícola, Indígenas e Quilombolas (DDAPA), com contrapartida da Prefeitura no valor em torno de R$5 mil.

Odeane Schug, integrante do Grupo de Mulheres Quilombolas Pérolas Negras, celebrou a ação. “Mais um evento que ocorre no Quilombo Vó Ernestina relativo à consciência negra, Este é um momento de reflexão, momento que nós, os quilombolas do município de Morro Redondo, temos para mostrar a toda comunidade nossa cultura, saberes e fazeres, seja pela música ou pelo artesanato”, disse.

Evento contou com apresentação musical. (Foto: Diones Forlan/JTR)

“A data de 20 de novembro é um momento para reflexão sobre o preconceito e o racismo estrutural, infelizmente ainda tão presente. Cumprimentos à trajetória das famílias da Comunidade Quilombola Vó Ernestina, suas organizações como a Associação Quilombola e o Grupo de Mulheres Pérolas Negras. A Emater está presente desde 2008 no processo de identificação e visibilidade desta etnia importante na história e na vida do município”, disse Karin Peglow do Escritório Municipal da Emater.

A vereadora Leticia Santos (PSDB) disse ter orgulho em ter conhecido a Vó Ernestina, “trajetória e legado que representam muito a consciência negra, e parabenizo as pessoas que hoje vivem e integram esta comunidade e mantém uma história tão importante para o município. Estarei sempre à disposição dos quilombolas de Morro Redondo”.

O presidente da Associação Quilombola Vó Ernestina, Rudinei Barboza, fez um agradecimento pelo apoio e prestigio ao evento do Executivo e Legislativo municipal, em especial ao comércio local, que realizou a doação de brindes, sorteados na ocasião.

“O nosso quilombo está se organizando. Espera-se, com a união e contribuição de todos, tornarmos um grande quilombo da Vó Ernestina. Hoje contamos com 39 sócios pagantes e a expectativa de aumentar cada vez mais este número”, disse.

Quanto a projetos futuros, o presidente relatou que a OCS Renascer está em tratativas para estabelecer uma parceria com a comunidade, viabilizando, em breve, uma feira orgânica junto à sede.

Recentemente, o prefeito Rui Brizolara (DEM) enviou um projeto de lei para a Câmara de Vereadores que visa repassar em torno de 2,8 hectares para a associação, área que abrange a sede, 53 casas e mais uma área verde. A tendência é que o terreno seja repassado oficialmente em seguida. Barboza relata que toda a área ficaria em nome da associação, fazendo com  que cada morador das casas tenha a posse legal do imóvel.

Entre as novidades, o Bloco Vó Ernestina, que conta com 11 integrantes, já está se apresentando, inclusive com participação no Doce Natal deste ano. Além disso, projeta-se realizar algo voltado ao Carnaval do município. Também está em andamento o curso de confecção de roupas, com máquinas de costuras industriais da associação, envolvendo cerca de nove integrantes no planejamento, de modo que, mais adiante, seja possível contar com uma malharia na própria comunidade.

Confecções produzidas pela associação. (Foto: Diones Forlan/JTR)

Também prestigiaram o evento o prefeito Rui Brizolara (DEM), a vice-prefeita Angelica Boettge dos Santos (PSDB), as vereadoras Vivian Rickes Rosa (PSDB), Maria Augustina Ludtke (Tininha) (PTB), os assessores do deputado federal Dionilso Marcon (PT), Flavio Almeida, e do deputado estadual Fernando Marroni (PT), o secretário Municipal de Educação, Cultura e Desporto, Anderson Guths (Teko), membros da diretoria e sócios da Associação, além de diversas pessoas da comunidade.

Enviar comentário

Envie um comentário!
Digite o seu nome