Instituições federais de ensino da região serão beneficiadas por recomposição orçamentária

O Campus Anglo da Universidade Federal de Pelotas (UFPel). (Foto: Luana Martini/JTR)

O governo federal anunciou, na terça-feira (18), a liberação de verba para composição do orçamento das universidades e institutos federais. A quantia, orçada em cerca de R$ 2,4 bilhões, buscará devolver às instituições a receita existente no ano de 2019.

Segundo o reitor do Instituto Federal Sul-rio-grandense, Flávio Nunes, a recomposição auxiliará a instituição em diversas áreas. “Poderemos atualizar nossas bolsas de ensino, pesquisa e extensão, aumentar o número de atividades externas como visitas técnicas, manter o atual quadro de servidores terceirizados, aumentar o número de auxílios estudantis, entre outras ações”, ressaltou.

Com a recomposição orçamentária, as contas do instituto foram acrescidas de R$7.891.084,00 para custeio de despesas básicas como contas de água, energia elétrica, bolsas de ensino, pesquisa e extensão e serviços terceirizados. Já o orçamento para assistência estudantil recebeu mais R$1.073.812,00.

Ele também comentou que a quantia liberada não suprirá o déficit orçamentário da rede, apesar de ser um importante reforço. “É importante destacar que estes valores ainda não são os necessários para voltarmos a ter todas as ações que já tivemos em tempos passados, mas é um grande alívio nas atividades atuais, lembrando que estes 20% de recomposição no custeio, o IFSul retorna a ter o orçamento que tivemos em 2019”. Diante disso, Nunes garante que o IFSul seguirá pedindo por mais recursos. “Neste momento temos que comemorar os 20%, mas continuaremos a reivindicar cada vez mais investimentos na educação profissional e tecnológica”, salientou.

Na Universidade Federal de Pelotas (UFPel), R$ 11.796.212,00 irão complementar o orçamento deste ano, sendo que R$ 7.067.640,00 serão verba de custeio, R$ 4.479.137,00 investimentos e R$ 249.435,00 de assistência estudantil. Assim como o representante do IFSul, a reitora da universidade, Isabela Andrade também afirmou que o valor recebido não resolverá todos os problemas orçamentários. “Recebemos a notícia com muita esperança e alegria, apesar de já identificarmos que o déficit previsto será reduzido, mas não findado”, disse em nota divulgada pela assessoria.

Ainda conforme o texto, a gestão da UFPel se reunirá nos próximos dias para definir o destino dos recursos. Conforme Paulo Ferreira Junior, pró-reitor de Planejamento e Desenvolvimento e reitor eleito da universidade, parte da quantia será empregada na conclusão de obras paralisadas com os cortes realizados pelo governo em 2022.

O reitor da Universidade Federal do Rio Grande (Furg), Danilo Giroldo, participou da cerimônia em Brasília com os demais reitores e comentou que, desde 2015, a instituição não recebia um orçamento maior em relação ao ano anterior. De acordo com ele, “muito importante para começar a reverter o quadro instalado no orçamento das universidades, que é de redução progressiva desde 2015”, disse por meio de divulgação feita pela assessoria.

A Furg receberá R$ 20.632.118,00 e deve divulgar em breve detalhes sobre a aplicação dos recursos. “Temos vários cenários desenhados, para assim fazer o planejamento e a recomposição possível de bolsas e auxílios para os estudantes. Quais são os valores e como eles serão aplicados, tudo isso será divulgado para a comunidade, como viemos fazendo nos últimos anos”, pontuou Giroldo.

A Universidade Federal do Pampa (Unipampa) deve receber aproximadamente R$ 8,1 milhões, que serão utilizados para custeio de despesas com assistência estudantil, contratos, terceirizados, bolsas e auxílios, atividades do hospital universitário, taxas, tributos, combustíveis, projetos e programas de ensino, pesquisa, extensão e inovação. A instituição também contará com R$ 2,2 milhões para compra de equipamentos, mobiliários e pequenas obras.

 

Enviar comentário

Envie um comentário!
Digite o seu nome