Capão do Leão: Corsan retoma obras de construção da ETA Embrapa

Darcy Costa, gestor da unidade de Capão do Leão, explicou o funcionamento da ETA Embrapa. (Foto: Gerson Baldassari/JTR)

As obras de adequações complementares da Estação de Tratamento (ETA) Embrapa que foram interrompidas para reajustes de valores contratuais foram retomadas pela Companhia Riograndense de Saneamento (Corsan) na segunda quinzena de novembro. O custo total da obra está estimado em R$ 3,5 milhões e os responsáveis pela execução são empresas consorciadas.

A ETA compacta funciona através de um sistema de tubulação de água bruta captada do canal São Gonçalo, que será tratada e disponibilizada aos pontos de distribuição para acesso aos moradores. São cerca de 4.300 m² de área física, abrangendo sala de química, tanque de equalização, leito de beges (secagem do resíduo de tratamento da água), reservatório e estrutura de tratamento (tanques).

Mesmo com a obra em andamento, a Corsan está preparada para suprir necessidades de abastecimento de água, caso ocorra estiagem de chuvas na região e, consequentemente, o arroio Padre Doutor fique abaixo do nível de água de sua capacidade.

“A população pode ficar tranquila quanto à probabilidade de desabastecimento. Isso não ocorrerá, porque nossa equipe técnica de manutenção estará 24 horas trabalhando, caso seja necessário manter abastecida de água a população”, disse Darcy dos Santos Costa, gestor da unidade de Capão do Leão, que explicou o funcionamento.

“Em principio essa água será tratada aqui mesmo na ETA Embrapa, e depois será enviada para os bairros Jardim América, Parque Fragata e Centro da cidade. Nossa capacidade de produção será de 30 litros por segundo”, ressaltou Costa.

Segundo ele, a companhia está ampliando extensões de rede no município através do projeto “Água, Vida e Cidadania”, que contemplará centenas de famílias de baixa renda que recebam benefício social. Outro ponto citado pelo gestor da companhia refere-se aos pontos de expurgo. Segundo ele, foram instalados oito e está previsto para o próximo ano a instalação de mais 25. “Quanto mais pontos de expurgos tivermos mais rápido vai chegar a água limpa nas residências. Ao ocorrer a falta d’água é necessário que a população aguarde por mais tempo até que o abastecimento se normalize para abrir a torneira.

Evite deixar correr aquela água marrom que saí de dentro do cano. Isso chamamos de expurgo”, concluiu. Os canais disponíveis de comunicação pela Corsan podem ser acessados pela população através do site www.corsan.com.br.

As ruas contempladas com rede de água pela Corsan são a Cinco (Parque Fragata), com 591 metros; a 23 (Jardim América), com 539 metros; Chenor (Parque Fragata), com 318 metros; Dois (Vila Maria), com 84 metros; João Goulart, Helmuth Bonow e Luís Maria da Rocha (Jardim América), com 928 metros e a rua Arlindo José Duarte (Jardim América) com 218 metros.

Enviar comentário

Envie um comentário!
Digite o seu nome