Uso de pellets de madeira na cura do tabaco é realidade nas propriedades de Canguçu

Produtores Wagner Wachholz da Cunha e Simone Schulz Duarte da Cunha, destacam o ganho obtido a partir da utilização do queimador de biomassa. (Foto: Divulgação)

Com intuito de promover uma produção cada vez mais consciente e sustentável, há cinco anos, a UTC Brasil aposta na utilização de pellets de madeira como alternativa ao uso da lenha para o processo de cura do tabaco.

Sendo a pioneira na utilização dessa tecnologia aplicada nas propriedades, a cada safra a empresa amplia a difusão dessa metodologia em municípios do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná. Na região de Canguçu, isso já é uma realidade. “Realizamos testes de eficiência em diferentes tipos de unidade de cura e em toda a nossa área de atuação no Sul do Brasil. Também promovemos treinamentos e difusão da tecnologia à toda comunidade de produtores de tabaco, sejam produtores integrados com a UTC ou não”, destaca o gerente de Sustentabilidade, Rafael Lacerda da Silva.

Os produtores integrados Wagner Wachholz da Cunha e Simone Schulz Duarte da Cunha, moradores da localidade de Coxilha dos Cunha, em Canguçu, já utilizam os pellets. Eles possuem uma propriedade modelo em termos de estrutura e organização e anualmente plantam 70 mil pés de tabaco. Mesmo com a diversificação de culturas, o tabaco segue como o carro-chefe e por isso optaram em apostar nas tecnologias para melhor o produto.

Dentre as principais vantagens destacadas por eles estão a ausência do trabalho noturno para alimentação das estufas, qualidade na coloração do tabaco, facilidade na utilização do equipamento e redução do risco de acidentes no manejo de lenha.

Saiba mais

O pellet de madeira é a biomassa fabricada a partir de resíduos de madeira que se transformam em combustível renovável e ecologicamente correto. O processo de cura do tabaco com o uso de pellets acontece com o auxílio de um queimador de biomassa, um equipamento de fácil manejo e configuração, que pode ser adaptado para qualquer tipo de unidade de secagem.

Na localidade de Coxilha dos Cunha, em Canguçu, produtores plantam anualmente 70 mil pés de tabaco. (Foto: Divulgação)

A utilização deste biocombustível proporciona inúmeros benefícios como a diminuição do tempo de cura. Em comparação ao modelo tradicional, o uso de pellets gasta 20% a menos de tempo. Além disso, um dos principais ganhos é na qualidade de vida dos produtores. Por ter capacidade de armazenamento e controle automático de queima, o abastecimento ocorre de 12 em 12 horas, sem necessidade de alimentação da fornalha em períodos noturnos. Fazendo com que tenham mais tempo para dedicar-se a outras atividades.

Pelo fato de manter uma temperatura constante e sempre pronta para uso, o equipamento promove maior qualidade final do produto, visto que garante uniformidade na coloração das folhas de tabaco. Outro fator importante e que contribui positivamente, é a redução do risco de incêndio nas estufas. Em decorrência da diminuição das chamas ao atingir a temperatura desejada, o aparelho trabalha de forma automática na manutenção da caloria, mitigando possíveis acidentes.

Por ser oriundo do processo de beneficiamento da indústria de madeira, os pellets são sustentáveis e ecologicamente corretos, em um processo com baixo consumo de energia. Eles são produzidos a partir de materiais recicláveis e que possuem certificação.

Dia de Campo

Diante da excelente repercussão do uso do queimador de biomassa, a UTC Brasil irá promover um dia de campo aberto à comunidade local, agendada para o dia 15 de março, na propriedade de Wagner e Simone. Os participantes terão a oportunidade de conferir quais os modelos de queimadores existentes, suas funcionalidades e os benefícios do equipamento.

Enviar comentário

Envie um comentário!
Digite o seu nome