Rio Grande soma 10 focos do mosquito transmissor da Dengue

Focos foram encontrados durante o período de 1º de janeiro a 2 de março. (Foto: Divulgação)

No período de 1º de janeiro até o dia 2 de março, foram identificados 10 focos do mosquito Aedes aegypti em Rio Grande. Eles estavam localizados nos bairros Centro, Aeroporto, Vila Maria, Parque Guanabara (Cassino), São Miguel e no Distrito Industrial.

A informação consta no relatório apresentado pela Vigilância Ambiental em Saúde dentro do Programa de Prevenção da Dengue.

No documento, foi atualizado também o número de notificações por suspeita de Dengue investigadas nesse período: foram 10, sendo que sete tiveram resultado negativo, duas aguardam resultado e uma espera confirmação laboratorial do Laboratório Central (Lacen), em Porto Alegre. Todas as notificações geraram uma Pesquisa Vetorial Especial em 13 localidades.

Recomendações
“É importante contarmos com a colaboração de toda a comunidade para evitar a proliferação do vetor transmissor dessa doença na cidade”, afirma a coordenadora da Vigilância, Marcia Pons.

Para isso, ela recomenda que sejam mantidos os pátios das residências sempre limpos, sem acúmulo de água, evitando qualquer objeto que possa servir de criadouro, higienizando com frequência os bebedouros de animais, mantendo os ralos fechados, as calhas limpas para não haver entupimentos, os sanitários em desuso sempre fechados, as caixas d’água bem vedadas, piscinas tratadas o ano todo e que o descarte de lixo seja feito em locais apropriados.

A Vigilância Ambiental também solicita que todos os moradores estejam receptivos à visita dos Agentes de Combates a Endemias (ACEs), para que suas atividades sejam desenvolvidas durante as visitas às residências nas ações de prevenção e controle do vetor transmissor da Dengue, febre Chikungunya e ZiKa Vírus.

Os agentes atuam devidamente identificados, com uniformes da Vigilância Ambiental em Saúde e crachá contendo informações profissionais. Em caso de dúvidas quanto à presença do ACE, deve-se entrar em contato com a Vigilância pelo telefone (53) 3233-7289, das 8h às 17h, a fim de confirmar os dados dos servidores.

Enviar comentário

Envie um comentário!
Digite o seu nome