Campanha visa cadastrar 100 doadores de medula óssea em Rio Grande no segundo semestre

A ideia é que a população local possa se cadastrar como doadora no próprio município. Hoje, todo o cadastro é realizado em Pelotas. (Foto: Divulgação)

Integrantes do Hemocentro de Pelotas (Hemopel) estiveram em Rio Grande, na última quarta-feira (7), a fim de atualizar profissionais de Saúde para captar possíveis doadores de medula óssea e esclarecer as dúvidas da população sobre como proceder com o cadastro para quem deseja ser doador. A atividade alusiva ao Fevereiro Laranja, promovida pela Secretaria da Saúde (SMS), ocorreu no Salão Nobre Deputado Carlos Santos da Prefeitura Municipal, onde foram apresentadas as mudanças mais recentes e os critérios para quem deseja ser doador.

Jucélia Ortiz e Márcia Lages, assistentes sociais do Setor de Captação do Hemopel, foram as palestrantes convidadas para a atividade que contou com a participação de profissionais das equipes de Saúde, incluindo agentes comunitários, e os responsáveis por programas da Secretaria no município, entre eles, a coordenadora geral, Daniele Furtado.

Para o segundo semestre deste ano, está sendo programada uma coleta externa de doadores de medula óssea em Rio Grande. A ação deve envolver a Prefeitura, por meio da Secretaria da Saúde, e a Santa Casa do Rio Grande. A ideia, conforme explicou a coordenadora do Hemocentro, Jucélia Ortiz, é que a população local possa se cadastrar como doadora no próprio município e que se tenha, pelo menos, 100 doadores rio-grandinos cadastrados. Atualmente, todo o cadastro é realizado em Pelotas.

Entre as mudanças mais importantes sobre a doação, a principal que foi apresentada é a referente a idade. Anteriormente, pessoas de 18 a 55 anos poderiam se cadastrar para serem doadoras. Hoje, a idade baixou para até 35 anos.

A coordenadora do Hemopel acredita que ainda é preciso um senso de solidariedade e responsabilidade por parte da população quando o assunto envolve doação de medula óssea. “A compatibilidade é muito difícil dentro do núcleo familiar e, por isso, é importante termos um banco (Registro Nacional de Doadores de Medula Óssea – Redome – ) abastecido com informações e características genéticas que possam auxiliar e salvar vidas das pessoas que aguardam por um transplante”.

Funcionamento

Localizado em Pelotas, na avenida Bento Gonçalves, 4.569, Centro, o Hemocentro é um órgão de caráter regional, com atendimento aos municípios da Zona Sul e da Campanha, integrantes da 3ª e da 7ª Coordenadorias Regionais de Saúde do Estado. O Hemopel funciona de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 18h. Não há necessidade de agendamento para ser feito cadastro como doador.

Enviar comentário

Envie um comentário!
Digite o seu nome