ProArbo alcança 8 mil árvores detalhadas e registradas no município

O objetivo é obter um panorama detalhado sobre arborização do município. (Foto: Divulgação)

O projeto ProArbo, da Secretaria de Meio Ambiente (SMMA), registrou mais mil árvores em seu banco de dados, totalizando 8 mil árvores analisadas. A equipe tem alcançado essa marca rapidamente devido ao aumento no número de técnicos. Atualmente, o projeto conta com três profissionais. Nos próximos dias, dois estagiários devem complementar a equipe.

As regiões do Lar Gaúcho, Navegantes, Cidade Nova, Avenida Senador Salgado Filho e Vila Militar são as áreas onde as práticas foram desenvolvidas recentemente.

Além de analisar a saúde das árvores, a equipe também registra a localização geográfica de cada uma no aplicativo. Esses dados serão utilizados para orientar a gestão da arborização da cidade, recomendando as espécies mais adequadas para cada local.

A SMMA também tem como objetivo criar um Guia Digital de Arborização Urbana e atualizar o Plano Municipal de Arborização.

Em uma apresentação ao Conselho Municipal de Meio Ambiente (Comdema), a equipe apresentou dados sobre as árvores já analisadas. Das 7.200 espécies verificadas, 41% eram árvores de grande porte, 35% eram pequenas e 24% eram médias. A maioria das árvores era exótica (62%), enquanto apenas 32% eram nativas da região.

Em relação à saúde, a maioria das árvores estava em bom estado (66%), enquanto apenas 9% estavam em péssimas condições. Quanto aos problemas identificados, 49% tinham pragas visíveis, 28% tinham parasitas e 23% tinham doenças fúngicas.
A estabilidade das árvores também foi avaliada, sendo que 90% estavam em equilíbrio, mas 10% estavam desequilibradas. Além disso, 96% apresentavam raízes expostas, o que pode afetar a mobilidade urbana.

Foi observado que cerca de 80% das árvores estavam em conflito com elementos urbanos, como redes de energia e iluminação pública.

A arborização da avenida no Cassino foi analisada separadamente e apresentou uma proporção ainda maior de árvores exóticas (91%). A maioria das árvores era do tipo eucaliptos (57%). Em relação à saúde, apenas 36% estavam saudáveis e 70% precisavam de intervenção.

O trabalho do ProArbo é considerado fundamental para a gestão adequada da arborização urbana, contribuindo para a preservação do meio ambiente e a melhora da qualidade de vida da população do município.

Enviar comentário

Envie um comentário!
Digite o seu nome