Banda rio-grandina propõe reflexão sobre o mundo atual em suas letras

Banda formada por Guilherme Bagozo, Guilherme Gonçalves e Fernando Ribeiro propõe uma reflexão sobre o mundo atual em suas letras. (Foto: Anderson Buttenbender)

Após uma pausa, a banda rio-grandina Ever Racing retomou os trabalhos em 2021 e foi direto para o estúdio de gravação. Com os shows suspensos por causa da pandemia, o grupo apresenta os novos singles, com as músicas autorais Mexa-se e Homem e o Mar, no seu canal no Youtube (ever racing-oficial). Até o final do ano, está previsto o lançamento dos clipes, que estão em fase de produção. Para 2022, o trio pretende lançar o total de cinco músicas em um EP e três videoclipes, e se prepara também para voos mais altos pelo Estado e quem sabe, pelo Mundo.

Originada em 2016, a banda é composta por Fernando Ribeiro guitarra e voz, Guilherme Bagozo, baixo e voz e Guilherme Gonçalves, bateria. Naturais e residentes em Rio Grande, cidade portuária do Sul do estado, os músicos já deixaram sua marca e influência na cena musical da cidade, que recebe em sua história muita bagagem cultural vinda do mundo inteiro. “Por Rio Grande já passou todo tipo de banda e músicos famosos reconhecidos no cenário mundial”, lembra o vocalista Fernando Ribeiro, o idealizador e interlocutor da banda.

Segundo Ribeiro, este retorno apresenta uma equipe mais focada e madura, que traz em sua postura algo mais ambicioso, levando ao público músicas bem construídas com a forte marca do rock gaúcho e letras mais conscientes, mostrando um tipo de reflexão sobre o mundo atual. “Correrias do dia a dia, coisas que fazemos sem nos dar conta, o mundo que passa batido pela janela, tudo muito rápido, respostas prontas, falta de motivação, solidão, amizades, amores, medo, coragem, família e trabalho. Tudo é motivo para se tornar uma boa música e mostrar um ponto de vista sobre a nossa rotina em que estamos sempre na correria”, ressalta o guitarrista.

“E é isso que a banda vive e quer trazer, um questionamento sobre essa vida que não dá mais tempo para o ócio básico e uma reflexão sobre esses pontos que nos passam batidos”, complementa. Segundo ele, além de divulgar o nome de Rio Grande por onde passa, a banda também fala, vive e admira a cultura local sem ser bairrista.

Em 2018, o vocalista deu uma pausa para se dedicar ao projeto Território Barbershop, espaço multicultural, localizado na Vila Rural, que reúne barbearia, livraria, cafeteria, estúdio de tatuagem e eventos culturais. A produtora da banda, Fernanda Blank, da Blank Produções e Eventos, conta que a ideia é utilizar o espaço para projetos futuros, como eventos culturais e apresentações musicais. Para mais informações, acompanhe as redes sociais da banda.

Enviar comentário

Envie um comentário!
Digite o seu nome