Julho Verde: Aapecan alerta para o diagnóstico de Câncer de cabeça e pescoço

O dia 27 de julho foi a data escolhida como o Dia Mundial de Prevenção ao Câncer de cabeça e pescoço. (Foto: Freepik)

O Julho Verde é o mês de conscientização da população ao Câncer de cabeça e pescoço. A campanha foi criada pela Associação de Câncer de Boca e Garganta (ACBG), com o objetivo de conscientizar sobre a importância do diagnóstico precoce para a eficácia no tratamento. O dia 27 de julho foi a data escolhida como o Dia Mundial de Prevenção ao Câncer de cabeça e pescoço.

A Associação de Apoio a Pessoas com Câncer (Aapecan) se junta à campanha para incentivar a importância do diagnóstico precoce da doença e das medidas de prevenção. Nas 15 Unidades da instituição, 670 usuários diagnosticados com Câncer de cabeça e pescoço possuem cadastro ativo.

O tipo de Câncer consiste no aparecimento de tumores malignos nas regiões da boca, orofaringe, laringe (cordas vocais), nariz, seios nasais, nasofaringe, órbita, língua, pescoço e tireoide.

Histórias na Aapecan

Na Unidade da Aapecan Ijuí, o usuário Gabriel Inocêncio Lopes Brasil, 54 anos, residente de São Borja, realiza o tratamento contra o Câncer de laringe no Centro de Alta Complexidade em Oncologia (CACON) do Hospital HCI.

Ele relata que o primeiro sinal foi o aparecimento de um módulo no pescoço: “Quando apareceu o caroço eu já notei que tinha algo de errado e daí decidi consultar. Logo fomos encaminhados para Ijuí para fazer a biópsia e descobri que era Câncer. Foi muito importante ter ido consultar rapidamente, pois fez com que descobrisse a doença cedo”, comenta Gabriel.

Durante o Julho Verde, a Associação promove ações educativas, como palestras e rodas de conversa, levando informações sobre a campanha, bem como os fatores de risco, formas de prevenção e principais exames para a busca do diagnóstico precoce. As ações podem ser agendadas na Aapecan Pelotas, pelo telefone (53) 3026-2965.

Formas de prevenção da doença

Todos os tipos de cânceres são assintomáticos em sua fase inicial, mas quando detectados em seu início possuem grandes chances de sucesso no tratamento.

No entanto, no Brasil, os dados referentes ao diagnóstico de Câncer de cabeça e pescoço, com exceção da tireoide, são alarmantes. Em média, 76% dos casos só são diagnosticados em estágio avançado, o que dificulta o tratamento, além de elevar a taxa de mortalidade.
De acordo com o médico oncologista do Oncocentro de Santa Maria, Dr. Carlos Roberto Felin, um dos principais fatores para o desenvolvimento do Câncer é o alcoolismo: “A sífilis e o HPV também são fatores que podem vir a desenvolver a doença”, alerta.

Entre as recomendações de prevenção ao Câncer estão a adesão a uma alimentação saudável, a prática de atividade física, evitar o cigarro e bebidas alcoólicas, manter-se dentro do peso ideal e realizar exames periódicos – conforme orientação médica.

Além disso, é importante alertar-se a manter uma boa higiene bucal, usar protetor solar e evitar exposição ao sol prolongada. É também o recomendado o uso de preservativo nas relações sexuais, inclusive na prática do sexo oral, e a vacinação do HPV para meninos de 11 a 14 anos e para meninas de 9 a 14 anos. “Ao primeiro sinal de lesão, na boca por exemplo, deve ser procurado um dentista ou médico, clínico ou oncologista. O profissional irá realizar um exame para o diagnóstico preciso”, destaca Dr. Felin.

Segundo o Doutor, os primeiros sinais do Câncer são lesões, normalmente não são dolorosas de início, mas que devem ser investigadas. Ainda, pessoas que trabalham usando muito a voz, como professores ou locutores de rádio, podem desenvolver nódulos nas cordas vocais, por isso, devem redobrar os cuidados.

Incidência do Câncer de cabeça e pescoço

No Brasil, o Câncer de cabeça e pescoço deve acometer anualmente de 35 mil a 40 mil brasileiros. Segundo levantamento do Instituto Nacional de Câncer (INCA), o Câncer de boca, laringe e demais sítios é hoje o segundo mais frequente entre os homens, atrás somente do Câncer de próstata. Nas mulheres, é o quinto mais comum, ficando atrás do Câncer de mama, tireoide, cólon e reto.

O Câncer de cavidade oral é o sétimo mais comum no Brasil. Uso excessivo de bebidas alcoólicas ou de cigarro pode ocasionar a doença, assim como a exposição excessiva aos raios solares. O HPV também está associado ao Câncer de cabeça e pescoço. O diagnóstico da doença entre jovens (menores que 45 anos) tem se tornado frequente, decorrentes de tumores originados pelo HPV.

Para mais informações sobre a Associação, entre em contato pelo telefone/WhatsApp (53) 3026-2965, pelo site www.aapecan.com.br ou pelas redes sociais Aapecan @aapecanpelotas, no Facebook e @aapecanmetadesul, no Instagram.

 

Enviar comentário

Envie um comentário!
Digite o seu nome