Em casa ou na viagem, confira cuidados recomendados aos pets no verão

Médico Veterinário Weinerth Bergmann alerta sobre os cuidados para prevenção de doenças, como a atualização das vacinas dos pets. (Foto: Divulgação)

Enquanto as previsões para este verão, são de temperaturas acima da média histórica, os humanos não são os únicos a sofrerem com as altas temperaturas. Os pets também precisam de uma atenção mais do que especial para enfrentarem de forma saudável o período de sol intenso.

De acordo com o médico veterinário Weinerth Bergmann, para ter um bom tratamento com os animais de estimação durante o verão, é necessário começar pelo básico: hidratação. Ele destaca a importância de deixar água sempre disponível aos animais, acrescentar gelo para manter o frescor, além de congelar sachês e frutas para estimular o pet a beber água.
Sendo comum que os donos saiam para passear com seus animais, Bergmann alerta para as queimaduras graves que podem resultar do contato das patas expostas com superfícies quentes. “Evitar passeios em horário de sol alto e lembrar que a gente anda sempre calçado e eles não, embora o sol de cima seja quente, às vezes o chão é muito mais. É importante sempre procurar um local em que eles não vão queimar as patinhas, evitar andar em piso e cimento que são muito quentes para eles”, recomenda.

Bergmann também chama atenção para o uso de protetor solar nos animais, uma vez que assim como os humanos, a exposição solar crônica pode causar dermatite solar e câncer de pele em cachorros e gatos, além de agravar doenças de pele autoimunes. “Hoje já existem linhas pet de proteção solar, se manda formular, se necessário”, diz. A aplicação de protetor solar nos animais ocorre nas regiões de pouca pelagem como focinho, plano nasal, orelhas, barriga, virilhas e axilas.

Os passeios também devem ser feitos em locais afastados do lixo, córregos e esgoto, que tendem a ter maiores riscos de proliferação de doenças. Neste sentido, ele reforça a necessidade de que os donos estejam sempre atentos às vacinas de seus animais. “Tem muitas pessoas que acabam esquecendo que depois de adulto tem que seguir vacinando uma vez ao ano. Colocar o vermífugo em dia, o antipulga em dia, proteger contra parasitas e carrapatos é extremamente importante,” ressalta.

Transporte em viagens
Comum ao período de férias, os animais que viajam com seus donos precisam que o cuidado se estenda também durante o transporte. Os animais devem ser transportados em caixas de transporte, ou por meio do uso da guia que possui um adaptador ao cinto de segurança do carro, garantindo a segurança do animal e de seu dono.

“Quando a gente vai viajar, a gente tem que saber se o pet é propício a uma viagem tranquila. Existem alguns pets que ficam muito agitados, e existem aqueles pets com braquiocefálico, que têm a respiração dificultada, então é importante que o carro tenha ar condicionado, se for fazer uma viagem longa,” recomenda o veterinário, que sugere ainda, a realização de uma viagem “teste” para que seja possível identificar o comportamento do animal.

Animais de rua
Embora o abandono de animais no Brasil, seja considerado crime desde 1998, conforme a Lei 9.605/98, de acordo com dados de 2022, informados pela Organização Mundial da Saúde (OMS), existem cerca de 30 milhões de animais abandonados nas ruas do Brasil, dos quais 10 milhões são gatos e 20 milhões, cães.

Assim, existem alguns cuidados que podem ser oferecidos aos animais de rua que também são vítimas do calor intenso, como permitir que o animal aproveite a sombra da sua casa; adicionar potes extras de água ao lado de fora da residência e colocar um pouco de ração para que os animais tenham alimento. Para saber mais sobre essas e outras informações, entre em contato com Bergmann pelo número (53) 99165-6119.

Enviar comentário

Envie um comentário!
Digite o seu nome