Produtores de arroz iniciam em setembro o plantio da próxima safra

Arroz irrigado. Foto: Alexandre Velho/Divulgação

Para a cultura do arroz, o momento é de planejamento da lavoura, que começa a ser semeada a partir do mês de setembro em algumas regiões produtoras. Na Zona Sul, a época ideal de plantio é o mês de outubro. O Instituto Rio Grandense do Arroz (Irga) deve divulgar até o final deste mês, a área de intenção de plantio para a safra 2021/2022.

O coordenador regional da Zona Sul do Instituto, André Matos, fez a entrega, no início deste mês, dos resultados e análise da safra 2020/2021 das lavouras de arroz e soja em rotação com o arroz na região e no Estado. Segundo ele, no RS foram colhidas 8.523.429 toneladas de arroz, com uma produtividade média de 9.010 quilos por hectare. A área colhida foi de 945.971 hectares. A produtividade média da Zona Sul foi de 9.325 quilos por hectare. A região produtora está organizada em cinco Núcleos de Assistência Técnica e Extensão (Nates) e abrange 12 municípios: Pelotas, Capão do Leão, Pedro Osório, Turuçu e Cerrito (2º Nate); Arroio Grande, Pedras Altas e Herval (11º Nate); Santa Vitória do Palmar e Chuí (16º), Jaguarão (25º) e Rio Grande (33º).

Segundo Matos, em agosto de 2020, a região tinha uma estimativa de plantio de 160.284 hectares e foi efetivamente semeada área de 163.208 hectares, uma pequena variação que costuma ocorrer. Uma área de 26.117 hectares foi semeada com cobertura de solo, sobre pastagens cultivadas normalmente em consórcio com azevém-trevo. “É uma área que vem crescendo ao longo dos últimos três anos”, ressalta. Segundo ele, 32% do arroz da região é plantado sobre resteva de soja e 16,3% com pastagens nestas restevas.

Destaque ainda para o preparo antecipado, ano em que se teve a maior área, segundo o agrônomo, ou seja, 126.935 hectares ou 78% da área preparada antes do mês de agosto, e entraram o mês de setembro já prontas para iniciar a semeadura. Jaguarão foi o município com a maior área de preparo antecipado, com 88%, diz. “O resultado disso foi um excelente desempenho de semeadura com 36,9% até 30 de setembro”, diz.
Segundo Matos, esta é uma realidade que vem ganhando força nos últimos anos. “Já é o segundo ano com mais de 30% da área semeada dentro do mês de setembro”, diz. Dentro do mês de outubro, 97,2% da área foi semeada, considerada a época ideal de plantio e um dos principais fatores para a obtenção de altas produtividades.

A irrigação também obteve um desempenho melhor, com 76% da área irrigada até 30 de novembro. Segundo o agrônomo, o desempenho foi excelente nestes três fatores, fundamentais na produtividade: preparo antecipado (78%), semeadura (97,2%) e irrigação (76%).

Abertura da Colheita
*Com informações da Assessoria

Em fevereiro de 2022, a Embrapa Clima Temperado Pelotas irá receber, pela quarta vez consecutiva, a Abertura Oficial da Colheita do Arroz e Grãos, em Terras Baixas. Entre os dias 16 e 18 de fevereiro, ocorre a 32ª edição do evento que terá como tema “A Produção de Alimentos no Pós-Pandemia. Novos Patamares, Novos Desafios”. De acordo com o chefe geral da Embrapa Clima Temperado, Roberto Pedroso, o sentimento é de consagração. “Este evento, que é a maior abertura de colheita do país, traz para a Embrapa todos os representantes da cadeia produtiva, sendo um momento especial para a celebração da colheita, realização de negócios e aquisição de conhecimentos”, enfatiza.

A Abertura Oficial da Colheita do Arroz e Grãos em Terras Baixas é organizada pela Federação das Associações de Arrozeiros do Rio Grande do Sul (Federarroz), com a correalização da Embrapa e o apoio do Instituto Rio Grandense do Arroz (Irga) na condução das lavouras. O evento do ano que vem seguirá o formato híbrido, com atividades presenciais e online. A programação contará com feira, palestras, debates, homenagens, ato da Abertura Oficial e as vitrines tecnológicas, que já possuem cerca de 90% de seus espaços confirmados por parte das empresas participantes.

Enviar comentário

Envie um comentário!
Digite o seu nome