Governador apresenta balanço de 30 dias após início das enchentes

Mais de R$ 650 milhões foram destinados para apoio aos municípios e às famílias afetadas. (Foto: Maurício Tonetto/Secom)

O governador Eduardo Leite apresentou, na manhã desta quinta-feira (30/5), o balanço das ações realizadas pelo Estado nos primeiros 30 dias após a enchente histórica que assolou o Rio Grande do Sul. Além desse retrospecto, foi apresentado o Mapa Único do Plano Rio Grande (MUP), uma estratégia de mapeamento a partir de imagens de satélite que está otimizando o direcionamento de políticas públicas.

A maior catástrofe meteorológica da história do Rio Grande do Sul demandou grande mobilização por parte do governo que, nesse primeiro mês, empreendeu todos os esforços para atender necessidades emergenciais e estruturar políticas públicas de restabelecimento e recuperação. O Executivo estadual resgatou mais de 77 mil pessoas e anunciou a liberação de R$ 658,8 milhões para ações de apoio aos municípios e às famílias afetadas.

“Atravessamos diversas etapas desde o primeiro momento em que fizemos os alertas a respeito das chuvas. Passamos por uma fase de resposta, com salvamentos e restabelecimento de serviços, e estruturamos o Plano Rio Grande, que norteará as ações futuras. Estamos atuando em todas as frentes para reconstruir o Estado. Isso passa por pilares financeiros, fiscais e técnicos. O governo precisa ter as condições de responder à altura das necessidades, e é isso que estamos pleiteando junto ao governo federal”, afirmou o governador.

O montante de R$ 658,8 milhões abrange os seguintes aportes:

R$ 148 milhões na modalidade Fundo a Fundo da Defesa Civil do Estado;
R$ 117,7 milhões para a conservação de estradas;
R$ 100 milhões para o programa Volta por Cima;
R$ 60 milhões para Aluguel Social e Estadia Solidária;
R$ 60 milhões em horas-máquina para desobstrução de vias urbanas;
R$ 45,1 para a rede hospitalar;
R$ 41,8 milhões para o programa A Casa é Sua – Calamidades;
R$ 40 milhões em horas-máquina para estradas vicinais;
R$ 12,7 milhões para custeio da Atenção Primária;
R$ 12 milhões para o Auxílio Abrigamento;
R$ 12 milhões para a contratação de equipes de saúde mental;
R$ 9,5 milhões para outras medidas de enfrentamento da crise.
O balanço de ações do governo do Estado nesses 30 dias de enfrentamento às enchentes foram reunidos em uma cartilha.

Para acelerar o processo de restabelecimento, o governo criou o Plano Rio Grande, o Fundo do Plano Rio Grande (Funrigs) e a Secretaria da Reconstrução Gaúcha. O plano tem como objetivo executar as ações necessárias ao enfrentamento das consequências da enchente histórica. O fundo concentrará os recursos destinados à recuperação do Estado. E a secretaria conduzirá boa parte dos trabalhos de reconstrução.

Link para a cartilha

Enviar comentário

Envie um comentário!
Digite o seu nome