Pavilhão da Agricultura Familiar terá o maior número de expositores da história da Expointer

Em 2022, Pavilhão da Agricultura Familiar contou com 337 empreendimentos de 166 municípios. (Foto: Itamar Aguiar/Arquivo Secom)

Um dos espaços mais procurados nas grandes feiras do Estado, o Pavilhão da Agricultura Familiar (PAF) apresentará na Expointer um novo recorde de expositores. A lista completa inclui 372 empreendimentos selecionados, de 174 municípios, que estarão distribuídos em 338 estandes e sete cozinhas. São pelo menos 35 expositores a mais do que no ano passado, quando 337 estiveram presentes.

Outro dado que chama a atenção é o número de empreendimentos liderados por jovens e mulheres. Em 2023, os jovens estão à frente de 87 empreendimentos e as mulheres comandam 148.

As agroindústrias presentes pertencem ao Programa Estadual de Agroindústria Familiar (Peaf), coordenado pela Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR). Além disso, o pavilhão contará com produtores ligados ao artesanato e às flores e plantas. Quatro estandes apresentarão artesanato indígena das etnias Mbyá-Guarani, Kaingang e Xokleng e 15 agroindústrias trabalharão com produtos orgânicos.

O PAF conta também com uma praça de alimentação, que possui sete cozinhas vinculadas às agroindústrias familiares. No espaço, o público da feira poderá consumir pratos variados, produzidos com artigos da agricultura familiar, em receitas ligadas à tradição e aos costumes das diversas etnias presentes no meio rural gaúcho.

As agroindústrias integrantes do Peaf têm a possibilidade de utilizar o Selo Sabor Gaúcho, que representa a identificação visual do programa, constatando que os produtos são oriundos das agroindústrias familiares do Rio Grande do Sul. O selo indica que as mercadorias passaram por processo de formalização com apoio do Estado e estão aptos a serem comercializados conforme legislações vigentes.

Para o secretário de Desenvolvimento Rural, Ronaldo Santini, a retomada da pasta tem possibilitado, cada vez mais, o crescimento do setor. “As feiras da agricultura familiar crescem e se solidificam como um importante instrumento de transformação social e geração de renda para os nossos produtores”, disse. “A grande prova disso é o engajamento cada vez maior das agroindústrias nas feiras ocorridas em todo o território gaúcho. No primeiro semestre, nós apoiamos 15 eventos que, somados, geraram quase R$ 10 milhões em vendas apenas nos espaços destinados à agricultura familiar. Não tenho dúvidas de que os números do pavilhão na Expointer deste ano também baterão todos os recordes”, destacou Santini.

Na atual edição, entre os produtos das agroindústrias familiares do Estado, será ofertada uma grande variedade de embutidos, defumados, queijos e laticínios diversos, pães, cucas, biscoitos, doces, geleias, mel, pescados, derivados da cana-de-açúcar, farinhas, vinhos, espumantes, cachaças, sucos, temperos, frutas desidratadas, ovos, licores, erva-mate, grãos e cervejas artesanais.

No artesanato, estarão produtos elaborados com matérias-primas encontradas nas propriedades rurais, como lã, fibras vegetais, couro, madeira, porongos e artigos de cutelaria ligados à tradição gaúcha. Entre os produtores de plantas e flores, se destaca a produção de suculentas, orquídeas, bromélias e cactos, além da oferta de sementes crioulas.

A agricultura familiar mostra, por meio do PAF, todo seu potencial de geração de renda e de desenvolvimento social oriundo das pequenas propriedades. Além disso, demonstra ser uma importante ferramenta de manutenção da sucessão rural.

O Pavilhão da Agricultura Familiar é organizado por uma comissão composta pelo Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR), Associação Riograndense de Empreendimentos de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater/RS-Ascar), Federação dos Trabalhadores na Agricultura no Rio Grande do Sul (Fetag/RS), Federação dos Trabalhadores na Agricultura Familiar (Fetraf/RS) e Via Campesina.

Enviar comentário

Envie um comentário!
Digite o seu nome