Enchentes no RS: Estado tem 125 pessoas desaparecidas e quase 540,5 mil desalojados

Confira abaixo o último relatório sobre as ações de resgate nas localidades atingidas. (Foto: Anselmo Cunha/AFP)

Devido às fortes chuvas que causaram estragos em diversas cidades do Rio Grande do Sul, a Defesa Civil estadual tem atuado para atender a população afetada e garantir a segurança das pessoas. Confira abaixo o último relatório sobre as ações de resgate nas localidades atingidas divulgado às 9h desta terça-feira (14). Eles são divulgados diariamente às 9h, 12h, 18h.

  • SOS RIO GRANDE DO SUL
  • Municípios afetados: 450
  • Pessoas em abrigos: 76.884
  • Desalojados: 538.545
  • Afetados: 2.124.203
  • Feridos: 806
  • Desaparecidos: 125
  • Óbitos confirmados: 147
  • Óbitos em investigação*: 0
  • Pessoas resgatadas: 76.483
  • Animais resgatados: 11.002
  • Efetivo: 27.651
  • Viaturas: 4.405
  • Aeronaves: 41
  • Embarcações: 340

*Está sendo apurado se as mortes têm relação com os eventos meteorológicos.

A Defesa Civil do Estado orienta às pessoas a verificarem se seus nomes constam na lista de desaparecidos. Se constar, a orientação é procurar a Delegacia de Polícia Civil mais próxima para verificação e regularização dos dados, com a retirada do nome da lista de desaparecidos.

Alertas

Para aumentar o nível de prevenção, as pessoas podem se cadastrar para receberem os alertas meteorológicos da Defesa Civil estadual. Para isso, é necessário enviar o CEP da localidade por SMS para o número 40199. Em seguida, uma confirmação é enviada, tornando o número disponível para receber as informações sempre que elas forem divulgadas.

Também é possível se cadastrar via aplicativo WhatsApp. Para ter acesso ao serviço, é necessário se registrar pelo telefone (61) 2034-4611 ou clicando aqui. Em seguida, é preciso interagir com o robô de atendimento enviando um simples “Oi”. Após a primeira interação, o usuário pode compartilhar sua localização atual ou qualquer outra do seu interesse para, dessa forma, receber as mensagens que serão encaminhadas pela Defesa Civil estadual.

Infraestrutura

O governo do Rio Grande do Sul retomou, em 30 de abril, a divulgação do monitoramento dos serviços de infraestrutura no Estado, após as fortes chuvas que começaram no dia 29 de abril.

Além de atualizar o nível das águas e a situação do fornecimento de água, energia elétrica e telefonia, os boletins também trazem um painel interativo sobre bloqueios em rodovias gaúchas, outro sobre rotas alternativas e, ainda, o panorama nas escolas da Rede Estadual e dos portos e aeroportos.

Os dados são reunidos pela Secretaria de Comunicação, a partir de informações enviadas pelas secretarias do Meio Ambiente e Infraestrutura, de Logística e Transportes, e da Educação.

A divulgação ocorre duas vezes ao dia, às 9h e às 18h, e o monitoramento seguirá até que haja normalização dos serviços e desbloqueio das estradas.

Rios às 7h

  • Lago Guaíba – Porto Alegre – 5,18 metros (cota inundação 3,00 Centro; 2,10 Ilhas)
  • Rio dos Sinos – São Leopoldo – 6,51 metros (cota inundação 4,50)
  • Rio Gravataí – Passo das Canoas – 5,84 metros (cota inundação 4,75)
  • Rio Taquari – Muçum – 11,92 metros (cota inundação 18,00)
  • Rio Caí – Feliz – 4,93 metros (cota inundação 9,00)
  • Rio Uruguai – Uruguaiana – 11,78 metros (cota inundação 8,50)
  • Lagoa dos Patos (São Lourenço do Sul) – 2,37 metros 17h-13/05 (cota inundação 1,30)

Energia elétrica, água e telefonia

  • CEEE Equatorial: 128.690 pontos sem energia elétrica (7,1% do total de clientes);
  • RGE Sul: 138.900 pontos sem energia elétrica (4,5% do total de clientes);
  • Corsan: 159.424 clientes sem abastecimento de água (5% do total de clientes);
  • Tim: 1 municípios sem serviços de telefonia e internet;
  • Vivo: 5 municípios sem serviços de telefonia e internet;
  • Claro: serviço normalizado.

Panorama nas escolas estaduais

Dados das escolas afetadas (danificadas, servindo de abrigo, com problemas de transporte, com problema de acesso e outros):

  • 1.044 escolas
  • 248 municípios
  • 29 Coordenadorias Regionais de Educação (CREs)
  • 362.486 estudantes impactados
  • 538 escolas danificadas com 219.459 estudantes matriculados.
  • 83 escolas servindo de abrigo

Rodovias

As chuvas que atingiram o Estado provocam danos e alterações no tráfego nas rodovias estaduais gaúchas. Atualmente, são 101 trechos com bloqueios totais e parciais em 52 rodovias, entre estradas, pontes e balsas.

As informações são do Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem (Daer), consolidadas com o Comando Rodoviário da Brigada Militar (CRBM), abrangendo também rodovias concedidas e as administradas pela Empresa Gaúcha de Rodovias (EGR).

A Secretaria de Logística e Transportes (Selt) trabalha para desobstruir as rodovias o mais rápido possível, de maneira a garantir o tráfego de veículos e pedestres. Veja a seguir a situação de cada rodovia atingida.

Portos e aeroportos

As chuvas e enchentes que atingem o Estado destruíram boa parte da infraestrutura de estradas do Rio Grande do Sul. Por isso, portos e aeroportos formam corredores de transporte fundamentais nesse momento, trazendo socorro e garantindo o abastecimento das regiões atingidas.

Confira a situação dos três portos e dos principais aeroportos regionais que operam no Rio Grande do Sul.

Aeroportos
  • Aeroporto Internacional Salgado Filho: a Fraport Brasil, administradora do terminal, informa que as operações no Porto Alegre Airport seguem suspensas por tempo indeterminado. A orientação aos passageiros é para que entrem em contato com a sua companhia aérea para mais informações sobre os seus voos.
Aeroportos administrados pelo governo do Estado operam normalmente:
  • Canela
  • Capão da Canoa
  • Carazinho
  • Erechim
  • Passo Fundo
  • Rio Grande
  • Santo Ângelo
  • Torres
Os aeroportos administrados pela CCR aeroportos operam normalmente:
  • Bagé
  • Pelotas
  • Uruguaiana
Aeroportos municipais
  • Caxias do Sul: opera normalmente.
  • Santa Cruz do Sul: opera normalmente.
Portos
  • Porto de Porto Alegre: mantém suspensas as operações, em razão da manutenção do nível do Lago Guaíba acima da chamada cota de inundação.
  • Porto de Pelotas: o embarque de toras de madeira segue suspenso e as atividades estão paralisadas no terminal.
  • Porto do Rio Grande: segue operando normalmente. Os ventos de quadrante sudoeste atingiram os 22 km/h e a correnteza foi de vazante durante toda a madrugada desta terça-feira (14), chegando a velocidade de 5,94 km/h em direção ao Oceano Atlântico.
    Em função da correnteza e a fim de aprimorar a segurança das operações, a Praticagem da Barra vem fazendo uma avaliação para realizar as manobras de entrada e saída de embarcações do canal de acesso ao Porto.

Travessia Rio Grande x São José do Norte

O serviço de transporte de veículos segue operando normalmente, enquanto o de passageiros encontra-se suspenso, em razão do aumento do nível da Laguna dos Patos.

Enviar comentário

Envie um comentário!
Digite o seu nome