Cidades do RS voltam a cobrar uso de máscaras em escolas após alta nos casos de Covid

Obrigatoriedade do uso de máscaras no ambiente escolar é retomada. (Foto: Gustavo Garbino/Divulgação)

Municípios do Rio Grande do Sul retomaram a obrigatoriedade do uso de máscaras no ambiente escolar esta semana após alta nos casos de Covid-19. Todas as 21 regiões receberam avisos do governo do estado devido ao aumento no número de novas infecções pela doença.

O Rio Grande do Sul tem, neste sábado (21), 24,1 mil pessoas com infecção ativa. Isto representa 1% dos 2,39 milhões de casos já registrados no estado desde o começo da pandemia.

Em Canoas, na Região Metropolitana, a prefeitura divulgou novo decreto, na sexta-feira (20), em que volta a tornar obrigatório o uso de máscaras em escolas da rede pública e conveniada. O decreto também recomenda que as instituições particulares de ensino da cidade sigam a mesma orientação.

“Dia a dia, as nossas crianças e os professores estavam precisando se afastar em virtude do vírus”, destacou o prefeito em exercício Nedy de Vargas Marques.

Também na Região Metropolitana, Guaíba decretou que o uso de máscaras é obrigatório em transporte coletivo de passageiros, público ou privado, em serviços de saúde, em estabelecimentos de ensino, de todos os níveis, públicos ou privados, e em áreas de bufê de restaurantes que utilizam a modalidade self-service.

Em Jóia, no Noroeste do RS, o decreto municipal assume a medida de enfrentamento à pandemia a partir desta segunda (23) “por tempo indeterminado, para todas os alunos, professores e servidores das Escolas do Município […], independente da Escola ser Municipal, Estadual ou Privada”. A obrigatoriedade é válida, também , no interior do ônibus do transporte escolar por todos os passageiros e do motorista.

Em Garibaldi, na Serra, a medida já é válida desde a última terça (17) em todos os “ambientes das escolas de Ensino Fundamental para todos que apresentarem sintomas gripais”. Na educação infantil, para crianças de até três anos, a recomendação é que aquelas que apresentarem sintomas gripais permaneçam em casa. De acordo com a secretária municipal de Educação, Beatriz Arregui Sopelsa, a medida é preventiva e será reavaliada com a evolução dos números de casos.

“Trata-se de um cuidado com nossas crianças, com a educação e com a saúde. Evitar novos surtos significa proteger os pequenos, manter nossas escolas abertas e o sistema de saúde em condições de atender a todos”, explicou.

O mesmo é válido em Capão da Canoa, no Litoral Norte, para estudantes da educação básico, a partir dos seis anos, e do ensino superior.

 

Enviar comentário

Envie um comentário!
Digite o seu nome