Descontentamentos e ao apagar das luzes

Descontentamento
Prefeitos da zona sul entregaram na última quarta-feira (14) documento ao governador Eduardo Leite.
No documento, os prefeitos – que fazem parte da Associação dos Municípios da Zona Sul (Azonasul) – solicitam, novamente, um olhar especial para a região, e manifestam o descontentamento com o anúncio feito pelo governador sobre o pacote de investimentos para obras em rodovias.
Do montante anunciado de R$ 302,4 milhões (trezentos e dois milhões e quatrocentos mil reais) que serão investidos pelo governo do Estado em rodovias, virá para a região sul apenas R$ 2,4 milhões (dois milhões e quatrocentos mil reais), não chega a 1%, o valor representa 0,8% do total.

Descontentamento 1
Os prefeitos lembram que, dentro dos R$ 2,4 milhões estão obras de calçamento no município de Pedro Osório que já estavam previstas em emenda do governo Sartori.
Relembram, também, que para a construção da nova Ponte do Costa, em Piratini, haviam recursos garantidos pelo governo anterior através da CIDE.
A CIDE – Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico (Cide-
combustíveis) – foi instituída pela Lei 10.336/2001 com a finalidade de assegurar um montante mínimo de recursos para investimento em infraestrutura de transporte, em projetos ambientais relacionados à indústria de petróleo e gás, e em subsídios ao transporte de álcool combustível, de gás natural, de petróleo e derivados.

Descontentamento 2
A população de Cerrito, junto com seu prefeito, manifestou seu descontentamento com o anúncio dos recursos, sobretudo pelo fato de que “faltam apenas três km” para conclusão das obras na ERS-706 que liga Cerrito a BR-293, além do risco de prejuízos no trabalho já executado devido à paralisação nas obras.

Descontentamento 3
Somando-se aos descontentes com os aportes financeiros para a região, Pedras Altas, representada pelo prefeito que também assinou o documento, declara que a ERS-608 que liga o município à Pinheiro Machado está intransitável. E mais, todas as obras realizadas nos governos anteriores estão sendo perdidas em decorrência da não continuidade e da falta de manutenção no que já foi feito.
Por estes motivos, a principal reivindicação da comunidade é a colocação de asfalto em apenas 11 km de um total de 30 km.
O pedido é somente para o trecho entre a saída da cidade até o Britador onde já há uma camada de asfalto, porém tomada pelos buracos.

Descontentamento 4
Os prefeitos ainda apontam outros locais que necessitam de obras como o trecho de Canguçu na ERS-265, entre o município e Herval, onde são muitos os buracos. Apresentam como prioritária a ligação asfáltica entre Canguçu e Piratini. Citam a ERS-602 que liga Arroio Grande a Herval e a ERS-071, entrada do município de Capão do Leão, todas precisando de recapeamento.
ESPERAR é a lição que nós da região sul mais sabemos fazer!

Ao apagar das luzes
Esta coluna coloca à disposição este espaço jornalístico a qualquer pessoa correlacionada ao conteúdo publicado, preservando o direito ao contraditório.

Enviar comentário

Envie um comentário!
Digite o seu nome