Com quase R$ 100 milhões em prejuízos no campo, Piratini decreta situação de emergência devido à estiagem

Crise hídrica afeta desenvolvimento das lavouras na zona rural. (Foto: Divulgação)

Com uma cifra próxima aos R$ 100 milhões em prejuízos ocasionados pela estiagem em Piratini, o prefeito Márcio Porto (MDB) decretou situação de emergência no município nesta segunda-feira (9).

A decisão foi tomada após um levantamento realizado por técnicos da Emater/RS-Ascar que foram a campo nos cinco distritos que integram a zona rural, onde foi possível constatar as perdas causadas pela crise hídrica.

Foram consultados também produtores, técnicos, autônomos, cooperativas de leite e diversos órgãos ligados à agricultura e pecuária, entre eles o secretário de Desenvolvimento Rural de Piratini, Leonardo Polina, ações que alicerçaram os números colhidos no campo e que acabaram por embasar a decisão do prefeito.

“O cenário que encontramos é extremamente preocupante. Há grandes perdas principalmente nas lavouras de feijão, soja e milho. Não há mais o que os animais comerem, pois as pastagens de verão foram muito afetadas”, disse o chefe do escritório de Emater em Piratini, Benhur Farias.

Segundo ele, a pior situação está concentrada nas lavouras situadas nos 2º e 3º Distritos, regiões onde as culturas ou não foram plantadas em virtude do solo seco, ou não se desenvolveram.

“Nessas regiões há meses não cai uma chuva que possa amenizar a situação, que cause efeito contra a estiagem, por isso as perdas já são enormes e se continuar sem chover o quadro pode piorar”.

De acordo com o relatório da Emater, 20% da área cultivada de milho já foram perdidas, o que perfaz um prejuízo que ultrapassa os R$ 3,6 milhões. A soja já teve perda de 15%, o que já significa a maior perda, aproximadamente R$ 62 milhões. Na pecuária de leite, que tem um rebanho de 1,5 mil cabeças, a perda é de 30% ou R$ 972 mil. Já a pecuária de corte registra perda na casa dos R$ 36 milhões. Por fim, na pecuária ovina, que tem um rebanho de 86 mil animais, são R$ 2,4 milhões em prejuízos.

Enviar comentário

Envie um comentário!
Digite o seu nome