Voluntárias criam projeto de proteção a cães e gatos em Piratini

Iniciativa busca ampliar a rede de proteção (Foto: Reprodução/Arquivo Pessoal)

São Francisco de Assis é o protetor dos animais, e por isso foi escolhido para batizar o novo projeto que funcionará paralelo a ONG Amigo do Bicho, em Piratini, sendo a única entidade destinada a ajudar na proteção de cães e gatos. A iniciativa é da massoterapeuta e assessora parlamentar Elenara Adamoli Cardoso e da administradora de empresas Nicole Carvalho.

Nicole divide seu tempo dedicado à profissão com o trabalho voluntário – o que faz de forma isolada, permitindo a castração e a proteção de pets que não tem um lar -, o que também é a realidade de Elenara que divide o espaço onde mora com felinos.
“Gosto de animais desde criança, mas há três anos passei a me envolver de forma mais efetiva e tornei minha casa um lar temporário para gatos, já tendo doado mais de 50”, revela Elenara.

Ela disse que junto com Nicole, entendeu que em Piratini ainda há muito espaço para esse tipo de ação de proteção a pets, pois a ONG não dá conta da demanda, assim elas chegam para somar nessa missão que concordam não ser fácil.

“Há muito desconhecimento por parte das pessoas neste sentido. No caso de cães, muita gente não sabe que existe a lei estadual do Cão Comunitário, que entre outros pontos, lhes asseguram a proteção, proíbe o extermínio e torna viável a castração. Então é preciso que não somente nós, mas também a Prefeitura Municipal faça o dever de casa e tenha a boa vontade, pois há fatos que são ignorados”, destaca a voluntária.

Para tentar sensibilizar o Executivo, para que promova a esterilização – que não ocorre por não existir uma sala adequada no atual canil -, entre outras ações, as idealizadoras têm como primeira ação uma reunião que acontecerá na próxima terça-feira (13) com o prefeito Vitor Ivan Gonçalves, o Vitão (PDT), e que terá a presença da ex-deputada estadual Regina Becker (PTB), defensora da causa animal que atualmente é secretária estadual do Trabalho e Assistência Social.

Para não só sustentar a ação, pois serão necessários recursos, mas ainda para que simpatizantes à causa ofertem os seus espaços disponíveis para abrigar animais enquanto estes não conseguem um lar, o Projeto São Francisco de Assis já está à busca de parceiros, pois os pets que forem atendidos pela iniciativa não poderão ser levados para o Canil Municipal por causa da falta de espaço.

“Esperamos que a comunidade abrace essa ideia, já que essa situação é um problema de saúde pública e interessa todos nós. É necessário criar uma consciência. Para isso pretendemos promover palestras nas escolas e visitar o comércio para conscientizar e assim conseguirmos, por exemplo, que estes adotem maneiras de alimentar os cães comunitários”, encerra Elenara.

Enviar comentário

Envie um comentário!
Digite o seu nome