Arborizado, gratuito e situado ao lado do balneário, Camping de Piratini é uma das opções para veraneio na Zona Sul

Estrutura localizada ao lado do Balneário Carlos Carvalho se destaca por ficar em meio à natureza. (Foto: Elis Garcia)

O policial militar aposentado Oscar Valadão, de 61 anos, mesmo tendo como opção durante o verão a praia do Laranjal, em Pelotas, onde reside e, mais próximo dali, também o Balneário Cassino, destina parte dos três meses da estação mais quente do ano para aproveitar, junto com a esposa, Luiza, a tranquilidade oferecida pelo Camping Municipal de Piratini.

Mas ele conta que nunca vai sozinho e, a exemplo do que fez novamente nos primeiros dias de janeiro, costuma convidar amigos para acompanhá-lo.

Desta vez os escolhidos foram o casal Arlei e Rosimeri Rodrigues, que, por terem aprovado a estrutura mantida e oferecida sem nenhum custo pela Prefeitura, asseguram: em 2025 retornarão ao município para descansar em meio à natureza.

“A convite do Oscar nós viemos conhecer este ano, gostamos do que aqui encontramos e, certamente, iremos retornar com a família para, de novo, aproveitar a tranquilidade, a sombra e também a água fresca que também muito nos agradou”, disse Rodrigues, funcionário público pelotense, de 59 anos, fazendo uma referência ao Balneário Carlos Carvalho, situado a poucos metros do camping.

Já Valadão conta que ruma para Piratini nesta época há mais de 30 anos, portanto, garante não sentir medo em apontar no momento em que identifica situações que requerem melhorias por parte da administração do município em relação ao local.

“São mais de três décadas escolhendo este camping para passar parte do verão. No geral, o que encontro aqui me agrada e me faz voltar anualmente. Afirmo que tudo aqui já foi bem melhor administrado, e isso atraia imensamente mais visitantes do que hoje, pois o local ficava lotado”, recorda o veranista, que reconhece o empenho da atual gestão para tornar, assim como no passado, o espaço mais atrativo.

Ele relata que, por algumas situações encontradas por ele em anos anteriores, ficou sem frequentar o Camping Municipal por 4 anos, mas decidiu voltar no verão de 2023.
“Passei quatro temporadas sem vir para Piratini, pois a estrutura do camping não estava a meu contento, já que ocorriam muitos furtos e depredações. Como percebi que a atual gestão busca dar solução a essas situações, retornei ano passado. Claro que pode ser melhor. Sobre as melhorias que ainda precisam ser feitas, como por exemplo, a adequação da rede d’água para que o líquido chegue até as barracas, sendo desta forma, necessário disponibilizar mais torneiras, já sugeri tudo isso ao secretário Henrique e este me assegurou que tudo será providenciado”, disse Valadão.

Mesmo tendo praia à disposição em seu município, pelotenses Luiza e Oscar Valadão, Arlei e Rosimeri Rodrigues optam pela tranquilidade do Camping Municipal de Piratini. (Foto: Elis Garcia)

Titular da pasta de Urbanismo e Serviços Públicos, Henrique Rosa da Silva, disse que a manutenção do camping começou em novembro e, de lá para cá, muito foi feito para melhorar o espaço, destacando, inclusive, o reforço na segurança, agora feita por seis policiais da Brigada Militar que fazem parte da Operação Verão.

“A presença deles de forma constante com as viaturas da corporação, nos permitiu, entre outras coisas, manter os portões abertos 24 horas por dia, e isso tem gerado muitos elogios por parte de quem vem acampar”, revelou Silva, acrescentando que, a melhoria neste sentido também reduziu o vandalismo, mesmo que isso ainda seja um dos problemas carentes de solução.

“Já foi muito pior. Vândalos ainda depredam e furtam as lâmpadas que fornecem a iluminação à noite, assim como destroem com frequência parte da rede elétrica ao levarem os fios e cabos de energia. Mas isso ocorre mais no inverno, mesmo assim, é claro, causa prejuízo à Prefeitura”, salienta o secretário.

Ele revela que, diante dos escassos recursos humanos disponíveis na sua Secretaria, chegou a levar para o prefeito, Márcio Porto (MDB), a sugestão de abrir um processo licitatório para terceirizar a manutenção e exploração do Camping.

“Tenho poucos funcionários na pasta, pois já precisamos deslocar parte do nosso pessoal para cuidar do Centro de Eventos. Para o camping seriam necessárias entre quatro e seis pessoas que se revezariam durante as 24 horas do dia, e isso, hoje, é impossível”, garante Silva, acrescentado que a sugestão da terceirização foi deixada de lado quando foi disponibilizado o efetivo da BM para cuidar do local.

“As melhorias e o investimento que o município fez no camping geram diariamente elogios que chegam até a mim através dos visitantes e creio que isso se manterá até o final da temporada de verão 2024”, finaliza.

Enviar comentário

Envie um comentário!
Digite o seu nome