Secretária de Educação de Piratini diz que falta de recursos causa crise no transporte escolar

Fransilene Madruga disse que a falta de recursos ocasiona os problemas (Foto: Nael Rosa/JTR)

A secretária de Educação, Fransilene Madruga, repetiu o que recentemente o prefeito Vitor Ivan Rodrigues, o Vitão (PDT), já havia dito: há uma crise envolvendo o transporte escolar de responsabilidade da Prefeitura de Piratini, que abrange as escolas municipais, como também as escolas estaduais, por conta do convênio com o Estado para garantir os deslocamentos na zona rural.

Os últimos episódios que evidenciaram as dificuldades enfrentadas pela atual gestão, neste sentido, ocorreram na Escola Municipal Antenor Elias de Matos e na Escola Estadual Carmosina Vaz Guimarães, localizadas no 3º Distrito. Após 28 dias letivos sem os alunos frequentando as aulas, um micro-ônibus voltou a circular no dia 6 de setembro, amenizando a situação, pois o ônibus que faz o trajeto está parado há semanas.

“Realmente esta situação é real, não podemos negar e está sim trazendo transtorno e prejuízos para os alunos. Temos problemas de avaria mecânica nos veículos e a causa da demora é a grande dificuldade financeira que estamos enfrentando, nos restando trabalhar para solucionar tudo isso na medida do possível”, admitiu Fransilene, que projeta o retorno do ônibus para este mês.

“Todas as demais peças já chegaram, faltando apenas os pneus. Queremos, se tudo der certo, disponibilizá-lo em breve, mas asseguro que não estamos tratando esta situação com descaso, é dificuldade mesmo”, falou.

Para recuperação de aulas, os professores enviaram parte do conteúdo que deveria ser dado em aula para a casa dos alunos, o que a secretária afirmou saber não ser o correto. Ainda há possibilidade das matérias serem dadas em turno integral.

Enviar comentário

Envie um comentário!
Digite o seu nome