Saúde confirma caso de dengue em Pinheiro Machado

(Foto: Josué Damacena/Fiocruz)

Na quarta-feira (21), a Secretaria de Saúde de Pinheiro Machado divulgou nota informando o primeiro caso de dengue registrado no município. Segundo a pasta, o caso é importado. O paciente estava em viagem e, ao retornar apresentou os sintomas da doença. Além do caso confirmado, outros dois pacientes estão com sintomas e são considerados suspeitos, ambos estavam fora do município.

A médica veterinária Giuliane Alves Lopes, responsável pelo setor de Combate a Endemias explica que o caso confirmado serve de alerta para a população reforçar os cuidados. “Nossa equipe está trabalhando e, até o momento, não temos registro de nenhuma larva do mosquito Aedes aegypti, vetor transmissor da dengue, no município. Após a confirmação do primeiro caso foi realizado um mapa especifico no raio de 150 metros da residência para inspeção, os agentes estão todos na rua trabalhando, orientando as pessoas sobre as medidas que devem ser adotadas, realizando ações de monitoramento, controle e prevenção”, relatou. 

Sobre pacientes infectados, Giuliane salientou que é recomendado o uso de repelente para evitar picadas de mosquito.  “A dengue não passa de pessoa para pessoa e, não é o mosquito que causa a doença. A doença é causada pelo vírus, que utiliza o mosquito como vetor e usa o corpo humano para se reproduzir. A transmissão da dengue se dá quando o Aedes aegypti pica uma pessoa doente e, em seguida, pica outra pessoa”, disse.

Vale ressaltar que a contribuição da população é fundamental para evitar a propagação do mosquito. “Muitas vezes, por medo e insegurança, os moradores impedem o acesso dos agentes aos pátios e residências para fazer a verificação. Lembramos que, os agentes estão uniformizados com identificação para facilitar o acesso e qualquer dúvida o morador deve entrar em contato com a secretaria de saúde para esclarecimento”, afirma.

Além do acesso dos agentes, os moradores devem adotar os cuidados necessários para evitar a propagação do Aedes aegypti. “Os cuidados precisam ser redobrados nessa época do ano, qualquer recipiente que tiver água acumulada pode ser o local de proliferação das larvas. Recomendamos a limpeza diária de pote de água de animais domésticos, a higienização de caixas d’água, piscinas, tonéis, tanques e baldes, garrafas e pneus devem ficar em locais fechados que não acumulem água”, destacou a veterinária.

Enviar comentário

Envie um comentário!
Digite o seu nome