Legislativo de Pinheiro Machado homenageia produtores rurais destaques de 2019

Homenagens ocorreram no dia 30 de julho (Foto: Divulgação/Câmara de Pinheiro Machado)

No dia 30 de julho, aconteceu na Câmara de Vereadores de Pinheiro Machado uma sessão solene para entrega dos troféus aos produtores destaques do município, projeto de autoria do vereador Jaime Lucas (MDB). Neste ano, foram homenageados os pequenos produtores Márcio e Márcia Wachteer, médio produtor Milton Azambuja e grande produtor Juliano Fernandes Camacho.

Confira a biografia dos homenageados:

Família Wachteer – pequeno produtor rural

O casal de pequenos produtores, Márcio e Márcia Wachteer, além dos filhos Lucas de Oliveira Wachteer e Pâmela de Oliveira Alves, receberam o prêmio na categoria Pequeno Produtor, que abrange a agricultura familiar. Eles residem no Assentamento São Manoel, 4º Distrito das Alegrias. A principal fonte de renda da família é a captação do leite e atualmente possui 28 hectares de propriedade.

A produção é feita pela própria família e tudo começa com a preparação da terra com as técnicas de cultivo através da silagem: um dos alimentos mais adequados ao gado de leite ou de corte, a ordenha, colocação nos tarros, e para garantir a qualidade após a ordenha, o leite é armazenado a uma baixa temperatura até ser recolhido.

Wachteer explica que o processo de silagem é feito na própria propriedade para que o sistema possa alimentar grande parte do gado. Todo o cuidado é adotado, desde o cultivo da terra, o armazenamento para que o silo não sofra depreciação para que principalmente o gado leiteiro venha a receber uma alimentação de qualidade. Para isso o sistema adotado pela família é basicamente uma conserva do alimento que diariamente recebe cuidados como a isolação para evitar a entrada de ar, no qual decompõe grande parte do mantimento.

“Se fossemos pagar pela alimentação ou para fazer todo o processo de silagem sairia muito caro, portanto, adotados um processo de maneira simples, onde implantamos o sistema na nossa propriedade com equipamentos próprios. O processo não levou quatro dias para ficar pronto”, explicou.

A família também explicou que o sistema levou um longo tempo para se tornar realidade, onde no início da implantação, eles tiveram que conseguir vacas emprestadas e equipamentos como tratores e ensiladeiras com a Prefeitura Municipal.

“Hoje, graças a Deus, nós temos tudo, é só pegar e trabalhar, mas no início nada foi fácil. O segredo é estar sempre se atualizando as novas tecnologias, sem elas ficamos para trás”, justificou.

Ao explicar o processo de captação do leite, a família divide as atividades entre si, na qual Márcia realiza toda a parte da ordenhagem enquanto o marido toma conta do cuidado do gado como a alimentação e entrada e saída da ordenha. Márcio conta que o espaço para ordenhar o gado ainda é pequeno, e que os planos da família são ampliar o mesmo, porém os tempos difíceis e a falta de incentivo na produção acabam atrapalhando o desenvolvimento principalmente dos produtores de leite, que hoje em dia estão cada vez menores em todo do Brasil.

“É uma renda dos pequenos produtores que tinha que ser mais bem vista pelo Poder Público afinal não gastamos o nosso investimento fora daqui e sim dentro do município, seja ele pouco ou bastante”, cobrou.

A qualidade do leite produzido na propriedade é uma das mais destacadas da região, onde a normativa para as empresas coletarem o produto são de menos de 300 mil na contagem bacteriana total, estando o produto da família Wachteer na marca dos 40 mil pelas CBT’s.

Os históricos da família e da propriedade tiveram início de forma simplificada com equipamentos e gado muitas vezes emprestados ou de qualidade inferior aos de atualmente, mas a luta a dedicação e a união dos mesmos os tornaram um dos destaques da produção do município e também da região, dando-lhes em 2019 a premiação de pequenos produtores destaques de Pinheiro Machado.

Família Azambuja – médio produtor rural 

A Propriedade Santo Antônio, de Milton Azambuja, Produtor Destaque 2019 na modalidade Médio Produtor, se destaca na propriedade duas culturas: a ovinocultura e bovinocultura, com maior predominância da ovinocultura.

Em relato, Azambuja explicou que a propriedade pertencia a seus avós, passado para seu pai e agora na terceira geração está aos seus cuidados. “Para mim é um motivo de cada dia estar me especializando mais na produção de ovinos, que é uma coisa que requer muito cuidado, carinho e, principalmente, precisa que associar a vontade, o trabalho e a técnica. Hoje minha propriedade é assistida pelo Sebrae, que me oferece muito apoio, tanto na parte prática como na teoria”, destacou.

Através da assistência do Sebrae muita medidas foram implementadas na propriedade, como a maneira de cuidar dos ovinos com medidas simples. Um exemplo é a marcação visando ter um rebanho regular.

A propriedade Santo Antônio já está se autossustentado, sendo trabalhado em cerca de 10 hectares de campo nativo, consistindo em semear azevém, que é a pastagem de inverno, com a cobertura de adubo. Isto é importante para não mexer na terra, pois hoje há um grande problema na pecuária, que é o vazio nos períodos de primavera, outono e inverno. Segundo o produtor, para se ter uma boa produção, os animais devem fazer uma boa alimentação.

A propriedade está incluída no projeto Alto Camaquã que contempla oito municípios, onde diversos encontros são realizados com membros da Embrapa Clima Temperado e da Associação Brasileira de Criadores de Ovinos (Arco), onde se obtêm assistência. O projeto consiste em dar suporte aos produtores e auxiliar na preservação do meio ambiente, em especial, suas riquezas.

Azambuja destaca que visando oferecer boa qualidade em bovinos na sua propriedade, há cruza na raça Angus. Já em ovinos ele cria a raça Ideal com Rouxeredal, com finalidade para abate e venda de carne e de lã, além da participação em exposições, como, por exemplo, a Feira e Festa Estadual da Ovelha (Feovelha), participando cinco vezes consecutivas.

“Hoje o mercado de carne é crescente e sempre há a procura de ovinos, e não quero perder a oportunidade ter carne e lã. Temos que sempre ter alternativas para não apostar apenas numa ficha”, frisa.

Família Camacho – grande produtor rural 

Juliano Fernandes Camacho, filho de Adão Leon Camacho e Marly Prisco Fernandes, casado com Allana Peroba Batista, pai do pequeno João Pedro, foi premiado com o Grande Produtor Rural Destaque em 2019. Com propriedade na localidade do São João Batista, realiza atividades que se completam: a pecuária e a soja.

Em 2010, seu pai também foi premiado como produtor destaque na atividade rural de laticínio. De lá para cá, a propriedade cresceu por causa da extensão e da produção. Hoje se trabalha com pecuária, pastagem, azevém, aveia e soja.

No primeiro ano no ramo da soja, há seis anos, Camacho plantou cerca de 50 hectares. Hoje ele planta em cerca de 400 hectares. O produtor investiu em equipamentos visando melhorar a qualidade de trabalho e também de ajudar na produção.

Na pecuária o foco é na criação com a produção de terneiros, visando a exportação. O azevém já está praticamente nativo nas suas terras. Atualmente a propriedade tem mais lucratividade e facilidade em comercialização na soja.

Enviar comentário

Envie um comentário!
Digite o seu nome