Prefeitura de Pelotas alerta para cuidados com esporotricose

Nos abrigos com espaço para animais, métodos de prevenção devem ser intensificados. Gatos são os principais transmissores. (Foto: Freepik)

A Prefeitura de Pelotas alerta para o aumento do risco de contaminação e a necessidade de intensificar as medidas de combate e prevenção da esporotricose. A doença atinge animais, principalmente gatos, sendo possível a transmissão para seres humanos. Até esta sexta-feira (17), foram recebidas 87 solicitações pelo Centro de Controle e Zoonoses (CCZ). Do total, foram confirmados 19 casos em felinos e seis em pessoas.

Conforme a chefe do departamento de Vigilância Ambiental em Saúde, Isabel Madrid, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS), via Centro de Controle de Zoonoses (CCZ), controla e monitora de forma permanente a esporotricose zoonótica (doenças que podem ser transmitidas entre animais e humanos). O programa atende animais suspeitos de contraírem a doença e encaminha as pessoas possivelmente contaminadas para atendimento médico.

“O que nós queremos alertar neste momento é que muitos resgates de animais estão acontecendo em áreas de risco. Como é uma doença transmitida pelo arranhão ou mordida do gato, as pessoas que estão participando dos resgates estão suscetíveis à infecção. Nos abrigos, os animais ficam muito próximos, esse também é um grande risco para a disseminação da doença”, alerta Isabel.

Prevenção e sintomas

O ideal é utilizar roupas de manga longa e luvas grossas para reduzir o risco de contaminação. Nos animais, essencialmente gatos, ferimentos na pele semelhantes à queimaduras são as principais características da doença, principalmente na cabeça e patas.

Caso ocorra a identificação de um animal suspeito, deve-se entrar em contato com o CCZ, através do WhatsApp (53) 99114-0546.

Enviar comentário

Envie um comentário!
Digite o seu nome