Pelotas: UCPel oferece tratamento psicológico gratuito a fim de avaliar abordagens

O estudo busca avaliar a eficiência do tratamento online, através de sessões em Terapia Cognitivo-Comportamental ou em Terapia Dinâmica Suportivo-Expressiva. (Foto: Bruno Bohn)

No início do mês de fevereiro, a Universidade Católica de Pelotas (UCPel) iniciou um estudo promovendo o tratamento gratuito em psicoterapia para depressão, visando analisar a eficiência da abordagem terapêutica por meio de sessões online, comparando com consultas presenciais. Com a pandemia, diversos profissionais da área optaram por atender pela internet, seguindo com o hábito após o fim do isolamento, sem que existam estudos brasileiros demonstrando sua eficácia quando comparado ao atendimento “tradicional” (presencial), justificando a necessidade da pesquisa.

O estudo obteve financiamento por meio de edital do CNPq, tendo como coordenador o professor Luciano Dias de Mattos Souza, com a colaboração dos professores Karen Jansen, Ricardo Azevedo da Silva e Fernanda Pedrotti Moreira. Neste projeto, aproximadamente 200 pessoas com transtorno depressivo receberão tratamento psicoterapêutico na modalidade online ou presencial. A alocação entre as modalidades se dará de forma aleatória.

A professora de Psicologia e colaboradora da pesquisa, Karen Jansen, ressalta a importância do estudo: “Há uma enorme demanda para atenção em saúde mental, principalmente entre transtornos de humor e ansiedade. Quadros crônicos e severos são acolhidos nos CAPS do município, enquanto os casos ‘menos graves’, sem risco de suicídio, aguardam anos por psicoterapia. Com certeza a demanda do município é muito maior do que podemos dar conta no estudo, porém a sua realização pode abrir novos caminhos para o sistema de saúde, após comprovação científica”, comenta.

Para participar, os interessados devem atender alguns pré-requisitos e preencher um questionário de inscrição, que será avaliado em um processo seletivo. Os selecionados serão atendidos de forma presencial ou online.

Pré-requisitos:

Ter 18 anos ou mais;

Não estar em tratamento psicológico ou farmacológico em outro espaço;

Residir na zona urbana de Pelotas;

Não apresentar risco de suícidio (moderado ou grave);

Ter acesso à internet e dispositivos compatíveis com o Google Meet;

Não utilizar de forma abusiva substâncias psicoativas;

Não ser diagnosticado com transtorno de bipolaridade, esquizofrenia, déficit intelectual ou outros transtornos mentais graves;

Não estar em processo de gestação.

Enviar comentário

Envie um comentário!
Digite o seu nome