Pelotas: Paula Mascarenhas (PSDB) se reúne com ministra da Saúde em Brasília

Panorama geral da saúde em Pelotas e o futuro Hospital Regional de Pronto Socorro entram na pauta. (Foto: Walterson Rosa/Ministério da Saúde)

A prefeita Paula Mascarenhas (PSDB) reuniu-se com a ministra da Saúde, Nísia Trindade, em Brasília, nesta semana, para apresentar a situação da saúde pública de Pelotas. Entre as questões relacionadas ao tema, entrou em pauta, também, a construção do futuro Hospital Regional de Pronto Socorro (HRPS), com as obras em pleno andamento e projeção de término no ano que vem.

“Apresentamos um panorama geral da situação da saúde no município, relatando sobre a rede de saúde, com foco especial na situação dos hospitais e, também, sobre o projeto do Hospital de Pronto Socorro. A proposta de conseguir abrir o futuro HRPS, como um hospital de ponta e de alta tecnologia, foi bem recebido pela ministra”, salienta a prefeita.

Paula relatou a crise por que passam os hospitais filantrópicos e, como medida emergencial de ajuda, a ministra adiantou que a União deverá liberar, em breve, o repasse dos valores a que se refere a Portaria dos Saldos Financeiros em Conta até 2018. “A nossa parte já repassamos e, agora, a União vai entrar com a dela, o que vai ser importante para todos os hospitais de Pelotas”, afirma a prefeita.

Obras do HRPS

Terreno com 18 mil metros quadrados, aproximadamente, que deverá abrigar mais de 9,4 mil metros quadrados de área construída – a sede do futuro Hospital Regional de Pronto Socorro de Pelotas (HRPS) – já conta com a etapa de supraestrutura da edificação delineada. Trata-se da parte de concreto, que antecede as alvenarias e demais instalações. A execução do projeto do complexo hospitalar situado à avenida Bento Gonçalves, 4.590, foi viabilizada com investimento de cerca de R$ 59,5 milhões, com recursos do programa Avançar RS do Governo do Estado e da Prefeitura de Pelotas.

“As obras iniciaram-se em abril do ano passado com previsão de término em abril do ano que vem. Em menos de um ano, já foram executados 20% do projeto físico. O trabalho envolveu demolições de instalações que existiam no local, escavações, fundações, colocação de armações e concretagem de acordo com a planta. Hoje, é possível ver o esqueleto do projeto já executado e avaliar a capacidade do futuro complexo hospitalar para receber pacientes de Pelotas e de toda a região. É uma obra de vulto, que está se desenvolvendo para qualificar e modernizar a saúde”, explica o secretário de Planejamento e Gestão, Roberto Ramalho.

A cargo da Construtora Augusto Velloso SA, com acompanhamento técnico da Secretaria de Planejamento e Gestão (Seplag), o projeto do Hospital Regional de Pronto Socorro conta com cerca de 1,5 mil metros quadrados de área reformada – prédio do antigo Centro de Atendimento a Síndromes Gripais -, mais oito mil de ampliação.

Considerado como hospital geral pelo Ministério da Saúde, o estabelecimento oferecerá atendimento especializado tipo II, acolhendo urgências e emergências, além de dispor de tecnologia e recursos humanos para casos clínicos e cirúrgicos.

HRPS deve ficar pronto no próximo ano. (Foto: Rodrigo Chagas/Prefeitura Municipal de Pelotas)

O que terá no Hospital

O futuro HRPS terá 159 leitos. Haverá 121 censáveis (para internação), divididos em dez leitos de Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) adulta, dez de UTI pediátrica, 11 de internação pediátrica e 90 de internação adulta. O complexo contará com 39 leitos não censáveis, sendo 14 de pronto atendimento adulto, oito de pronto atendimento infantil, quatro de diagnóstico por imagem e 12 do centro cirúrgico.

Nas instalações, constam cinco salas de cirurgia, uma de raio X, uma de tomografia, uma de ultrassonografia e uma de endoscopia. Quanto à ocupação populacional, o futuro Hospital terá capacidade para concentrar 121 pacientes internados em leitos, 290 funcionários e 838 flutuantes.

Divisão por ambientes

O secretário Roberto Ramalho explica que os pavimentos térreos serão destinados para pronto atendimentos. O prédio em reforma, do antigo Centro Covid, concentrará o pronto atendimento adulto, os serviços de diagnóstico por imagem e o Serviço de Atendimento Móvel de urgência (Samu), enquanto na parte de nova construção estará o pronto atendimento infantil e os serviços de apoio e logística.

No primeiro piso, será localizado o centro cirúrgico, o centro cirúrgico ambulatorial, a administração, a central de material e esterilização (CME) e assistência à saúde, com ensino e pesquisa. No segundo pavimento, estarão sediadas as UTIs adulta e pediátrica, enquanto no terceiro e no quarto ficarão os leitos de internação. O pavimento técnico estará reservado à casa de máquinas, aquecimento de água solar e reservatório.

Na área externa, o complexo hospitalar vai dispor 163 vagas de estacionamento para funcionários, sendo 105 no terreno do prédio principal e 58 no do prédio da ampliação. O estacionamento ao público, na área onde estava localizado departamento do Sanep, contará com 136 vagas.

O que dizem os trabalhadores

Profissionais da construção civil, Manoel Heres Fernandes, José Carlos Nunes de Vasconcelos e João Arlei Souza de Oliveira trabalham na obra do HRPS. Entre as referências que fazem sobre o futuro complexo, há um ponto em comum: qualidade.

Para Manoel, que trabalha na execução do projeto desde o início, “O novo Hospital vai proporcionar melhorias no atendimento à população de Pelotas e da região. É um grande benefício.” Para José Carlos, “O Hospital vai ajudar bastante as pessoas. É outra realidade, haverá muita qualidade.” João Arlei diz que “Para quem precisar, será uma maravilha, um avanço, modernidade.”

A execução das obras conta com acompanhamento permanente dos profissionais da empresa e da Prefeitura de Pelotas. Pela Seplag, o gerenciamento cabe ao secretário Roberto Ramalho e a fiscalização aos engenheiros civis Marcelo Cunha e Vinicius Ferreira e ao engenheiro-eletricista Rogério Freitas, e, pela Construtora Augusto Velloso, ao arquiteto Tiago Gomes.

Enviar comentário

Envie um comentário!
Digite o seu nome