Pelotas: Bebê nasce na UBS do Barro Duro

Eric Davi não esperou o Samu chegar e nasceu com a ajuda da equipe da Unidade. Parto aconteceu na tarde de terça-feira (21). (Foto: Divulgação/Prefeitura de Pelotas)
A equipe da Unidade Básica de Saúde (UBS) Barro Duro passou por experiência inesperada na tarde de terça-feira (21), quando uma usuária entrou em trabalho de parto e o bebê nasceu com a ajuda das profissionais da Unidade. O pequeno Eric Davi, filho de Rita de Carla da Silva Araújo, nasceu com 42 centímetros, 1,95 quilo e com 37 semanas e cinco dias de gestação. “Enorme”, comemorou a mãe.
As profissionais da saúde com o pequeno Eric Davi. (Foto: Divulgação/Prefeitura de Pelotas)
A coordenadora da Unidade, Carina Bast, conta que, por volta das 13h30min, a filha da gestante procurou a equipe para dizer que a mãe estava em trabalho de parto em sua casa, que fica ao lado da UBS, onde ela fez todo o pré-natal, paralelo ao Pré-Natal de Alto Risco, da Secretaria de Saúde (SMS).
Carina foi até a casa da Rita. A paciente, que já estava dentro do carro de um vizinho para ir para a maternidade, foi aconselhada a ficar na UBS aguardando a ambulância do Samu. O trabalho de parto já estava em estágio avançado e não seria seguro se deslocar de automóvel, já que as avenidas de acesso estão com água na pista devido à enchente que atinge Pelotas. Também havia risco de se deparar com congestionamentos por ser horário de pico. “Ela já estava com contrações a cada minuto e com a dilatação necessária para o bebê nascer. Foi feito contato com o Samu, mas não deu tempo de chegar, conta a coordenadora. Não daria mesmo. Eric Davi tinha pressa. Às 14h05min, ele nascia na UBS Barro Duro de parto natural, conduzido pela própria Carina, enfermeira de formação, duas médicas, duas outras enfermeiras e uma técnica de enfermagem. Ao chegar, a equipe do Samu preparou mãe e filho, cortou o cordão umbilical e os transferiu para o hospital na área central da cidade.
Sobre o grau de dificuldade, Carina e Rita discordaram. Para Carina, “o parto foi natural, não foi difícil, graças a Deus e aos profissionais que o realizaram. Deu tudo certo, mas os recursos hospitalares seriam importantes”, afirmou a coordenadora da Unidade, enquanto a mãe avaliou que “foi um parto difícil e assustador, tanto para mim como para as enfermeiras e as médicas da Unidade de saúde, mas foi tranquilo, graças a Deus e graças a elas”.
A Secretária de Saúde (SMS), Roberta Paganini, afirmou que “é uma alegria um nascimento e uma esperança em meio a tudo que estamos vivendo, mas, principalmente, essa situação nos mostra o quanto nossas equipes de saúde são preparadas, qualificadas e comprometidas com o cuidado com as pessoas. A atenção primária é onde estão os serviços aparentemente de menor complexidade, mas na prática não é assim. Além de serem a porta de entrada do SUS e ordenadoras do cuidado, as UBSs fazem a prevenção e a promoção à saúde e o que for necessário para garantir o cuidado das pessoas. Nesse momento, saber que temos essas equipes na linha de frente é ter certeza que a população é e será bem cuidada. Como gestora, essa situação me faz sentir orgulho do trabalho feito e confiante que faremos mais esse enfrentamento”, concluiu.

Enviar comentário

Envie um comentário!
Digite o seu nome