Pelotas: Embrapa e apoiadores promovem feira inédita sobre Agroecologia, simultânea ao XVII Dia de Campo

Estação está localizada na BR 392, nº 88, no Rincão da Cruz, em Pelotas. (Foto: Divulgação/Embrapa)

Utilizada como ferramenta de desenvolvimento regional direcionada a apresentações de soluções tecnológicas, inovações e apropriação social de conhecimentos científicos para a agricultura familiar de base ecológica, a primeira edição da Feira da Agroecologia será realizada no dia 1º de dezembro, das 8h às 17h, na Estação Experimental Cascata (EEC) da Embrapa Clima Temperado, em Pelotas. O evento acontecerá concomitante ao XVII Dia de Campo Sobre Agroecologia e Produção Orgânica, que abordará quatro estações temáticas – Pagamento por Serviços Ambientais, Agrosociobiodiversidade, Sistemas de Produção Biodiversos e Bioinsumos.

Promovida pela Embrapa Clima Temperado, Centro de Apoio e Promoção da Agroecologia e Emater/RS-Ascar, a I Feira da Agroecologia propõe reunir diversos setores em prol do compartilhamento de conhecimento em relação à agroecologia e a produção orgânica.

As estações temáticas que compõem a grade da programação focalizam em propor alternativas para a diversificação da matriz produtiva de base ecológica da agricultura familiar e são direcionadas ao público de agricultoras e agricultores, técnicos de assistência técnica e extensão rural, gestores públicos, estudantes e professores. Buscam oportunizar a visualização prática e concreta de base ecológica, num processo dialógico que alinha conhecimento científico dos pesquisadores com conhecimento tradicional dos agricultores.

Doutor em Recursos Naturais e Gestão Sustentável e coordenador da Estação Experimental Cascata, Luis Fernando Wolff comenta que o evento possui uma característica diferente dos outros anos – a junção entre a XVIII edição do Dia de Campo e a I Feira da Agroecologia.

Doutor em Recursos Naturais e Gestão Sustentável e coordenador da Estação Experimental Cascata, Luis Fernando Wolff destaca a junção entre os dois eventos. (Foto: Luana Martini/JTR)

“Essa Feira da Agroecologia é a grande diferença porque ela vai trazer não só agricultoras e agricultores de diferentes comunidades, organizadas em grupo e suas representações, trazendo produtos para vender ou mostrando suas técnicas e seus equipamentos, suas invenções, o serviço prestado por eles para a sociedade […], mas não só esse setor da produção primária em Agroecologia e Produção Orgânica, mas também um setor de serviços, pesquisa e extensão a respeito de Agroecologia e Produção Orgânica”, explicou o pesquisador.

Parceria

No decorrer do evento, haverá o tradicional lançamento da publicação anual ‘Alternativas para a Diversificação na Agricultura Familiar de Base Ecológica – 2022’, que terá distribuição em formato físico e eletrônico às instituições, bem como a visitantes, registrando os resultados do trabalho desenvolvido na Embrapa Clima Temperado, em especial na EEC e parceiros. A publicação trata de propostas de tecnologias e alternativas para a diversificação da agricultura familiar de base ecológica, baseando-se nos temas abordados no ‘Dia de Campo’.

A Estação Experimental Cascata está localizada na BR 392, nº 88, no Rincão da Cruz, em Pelotas.

 Confira a programação

8h – Inscrições e visita à Feira da Agroecologia

9h – 1ª apresentação nas estações temáticas

10 – 2ª apresentação nas estações temáticas

11h – 3ª apresentação nas estações temáticas

12h – Cerimônia de abertura, certificação de OCS, homenagens, lançamentos, manifestações culturais

13h – Visita à Feira de Agroecologia, praça de alimentação, almoço

14h – 4ª apresentação nas estações temáticas

15h – 5ª apresentação nas estações temáticas

16h – Visita à Feira de Agroecologia

17h – Enceramento

 

Estações temáticas e subtemas

  1. Pagamento por Serviços Ambientais

– Pagamentos por Serviços Ambientais (PSA): conceitos e marco legal;

– Técnicas para conservação dos solos e da água;

– Produtos florestais madeireiros e não-madeireiros;

– Polinização dirigida de cultivos com apicultura.

 

  1. Agrossociobiodiversidade

– Projeto Conserva-In para promoção da integração entre agricultores e pesquisadores;

– Adubação verde na agricultura sustentável;

– Guardiões da biodiversidade de abelhas sem ferrão;

– Sistemas agroalimentares locais: biodiversidade conectando campo e cidade.

 

  1. Sistemas de Produção Biodiversos

– Semeadura direta para implantação do componente arbóreo de agroflorestas;

– Fruticultura agroflorestal;

– Quintais Orgânicos de Frutas: diversificação da matriz produtiva e renda familiar;

– Produção de base ecológica de hortaliças em sistema agroflorestal;

– Plantio direto de hortaliças tendo a compostagem laminar como estratégia.

 

  1. Bioinsumos

– Criação de insetos: fonte de soluções sustentáveis para agricultura e pecuária;

– Produção de bioinsumos na propriedade: adubo fermentado ‘Bokashi’;

– Pó de rocha, agrominerais e remineralizadores;

– Extração e usos de óleo essencial de chinchilho (tagetes minuta).

Enviar comentário

Envie um comentário!
Digite o seu nome