Pelotas: Volume de chuva é três vezes maior do que a média mensal

Equipe da SQA trabalha na remoção de árvores caídas (Foto: Divulgação)

O volume de chuva registrado em Pelotas afeta a rotina da população. Nesta quarta-feira (30), levantamentos realizados pelo Poder Público apontaram impossibilidade de funcionamento de quatro escolas, comprometimento do expediente de três Unidades Básicas de Saúde (UBSs), interrupção de estradas, transbordamento de arroios e interdição de pontes.

Em outubro, até o momento, as precipitações superaram o triplo da média mensal. A Defesa Civil informa que choveu 347 milímetros em 30 dias, enquanto a média é de 104. Somente entre a noite de terça-feira (29) e esta manhã, foram 55 milímetros.

A Estação de Tratamento de Água (ETA) Moreira foi submetida à manutenção. Por conta das ações técnicas do Sanep, partes do bairro Fragata, como Vila Aurora, avenida Duque de Caxias e Simões Lopes tiveram o abastecimento de água interrompido. Todas as casas de bombas da cidade prosseguiram com desempenho a pleno.

A Defesa Civil não recebeu nenhum chamado de ajuda ou remoção de moradores até o meio-dia. Equipe continua alerta e integrada ao trabalho realizado por secretarias municipais e segue à disposição da população. O telefone de contato é o 153.

Escolas sem aulas
Quatro escolas da rede municipal de ensino tiveram as aulas suspensas nesta quarta-feira (30) em razão de falta de energia elétrica e bloqueio de estradas, decorrentes do excesso de chuvas. A Secretaria de Educação e Desporto (Smed) informa que duas unidades estão localizadas na zona rural – a Waldemar Denzer, no 4º distrito, Triunfo, e a Bruno Chaves, Passo da Micaela, 9º distrito, Monte Bonito – e duas no Balneário dos Prazeres: a de Educação Infantil Oswald de Andrade e a de Ensino Fundamental Luiz Augusto Assumpção. As demais funcionam normalmente.

Unidades de Saúde
Três UBSs tiveram o funcionamento comprometido devido ao excesso de chuvas: Dunas, Navegantes e Laranjal. Pela manhã, de acordo com a Secretaria de Saúde (SMS), o expediente foi limitado. À tarde, a tendência é de fechamento, caso persista a chuva.

Situação na colônia
Praticamente todos os distritos sofreram as consequências das precipitações intensas e das descargas elétricas. As administrações distritais continuam mapeando as áreas mais atingidas e sinalizam bloqueios totais ou parciais para o deslocamento em pontos críticos.

Estradas e pontes bloqueadas
• 3º distrito, Cerrito Alegre – bloqueadas as estradas das colônias Py Crespo, Osório e La Quintinie.
• 4º distrito, Triunfo – Ponte dos Primos interrompida.
• 5º distrito, Cascata – bloqueada a estrada da divisa com Morro Redondo.
• 6º distrito, Santa Silvana – bloqueada a estrada do Moinho. Queda de árvores na localidade já foi solucionada. Equipes da SDR removeram troncos e galhos.
• 7º distrito, Quilombo – bloqueada estrada do Andrade.
• 9º distrito, Monte Bonito – bloqueada a estrada do Passo do Pilão e interditada a ponte.

Ações imediatas
A Secretaria de Serviços Urbanos e Infraestrutura (Ssui) mantém as administrações regionais articuladas nos trabalhos de abertura de “sangrias” – valas para escoamento – no leito de vias não pavimentadas onde há acúmulo de água. Além disso, atua em desobstruções de valetas e bueiros, nos quais existe concentração de lixo, galhos e vegetação impedindo a fluidez da água. Por questões de segurança, equipe técnica realizou vistoria nas pontes da área urbana. Nenhum comprometimento foi constatado.

A Secretaria de Qualidade Ambiental (SQA) seccionou tronco e galhos, a fim de retirá-la, da árvore caída na área da UBS Barro Duro na própria terça-feira, tão logo a CEEE os afastou da rede elétrica. A árvore que tombou na rua Frontino Vieira, no bairro Fragata, também foi cortada em pedaços para remoção.

Enviar comentário

Envie um comentário!
Digite o seu nome