Pelotas: Encontro promovido pela Prefeitura debate fluxos de violência no município

Encontro promovido pela Prefeitura oportunizou atualização e reflexão sobre a temática aos assistentes sociais que atuam na Rede de Atenção à Saúde. (Foto: Divulgação/SMS)

O encontro Fluxos de Violência do Município de Pelotas, realizado pela Prefeitura de Pelotas, nesta terça-feira (27), teve como objetivo proporcionar atualização e reflexão sobre a temática aos assistentes sociais que atuam na Rede de Atenção à Saúde. Profissionais dos núcleos de Violências da Vigilância Epidemiológica (Vigep) e de Serviço Social (Nuseso), das redes de Doenças Crônicas Não Transmissíveis (RDCNT) e Materno Infantojuvenil (Remi), e do Centro de Referência da Mulher Vítima de Violência Professora Cláudia Pinho Hartleben estiveram reunidos na ocasião.

Durante o painel, foram discutidos os fluxos de violência contra crianças, adolescentes, mulheres e idosos, permitindo a reflexão sobre a importância das notificações de casos de violência, conforme ressaltou a enfermeira Naiana, coordenadora da Vigep. “A notificação visa à interrupção de atitudes e comportamentos violentos, revendo a violência e permitindo dimensionar o processo de trabalho das equipes”, detalhou. A notificação é uma ação considerada de caráter obrigatório aos profissionais de saúde.

Na ocasião, foram apresentados dados do Observatório de Política Pública de Pelotas e Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan) que demonstram a necessidade de qualificar registros. O panorama de idosos no município foi abordado, assim como, materiais disponíveis para um cuidado mais capacitado a usuários, além de relatos de violência contra a mulher que reforçam a importância do trabalho de prevenção e orientação nos espaços de saúde.

A violência contra crianças e adolescentes também foi tema do encontro, com exposições de informações coletadas sobre esse público, que desde setembro de 2022 conta com um serviço especializado para atendimento a essas demandas, o Centro de Atendimento Infantojuvenil (CRAI).

O evento foi organizado pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS) através do Núcleo de Serviço Social e Rede de Atenção às Pessoas com Doenças Crônicas Não Transmissíveis.

Enviar comentário

Envie um comentário!
Digite o seu nome