Pelotas: Cápsula do tempo com cartas será enterrada no Parque da Baronesa

Convite para participar da homenagem foi entregue, na quarta-feira (26), pelo secretário de Cultura, e pela diretora do Museu no Paço Municipal. (Foto: Gustavo Vara)

A última atividade da programação dos 40 anos do Museu da Baronesa será no dia 17 de dezembro, durante o enterro de uma cápsula do tempo com cartas de pessoas e instituições importantes para a história da cidade de Pelotas no Parque da Baronesa. A prefeita Paula Mascarenhas (PSDB) será uma das pessoas que terá sua carta depositada durante a cerimônia. O convite para a chefe do Executivo participar da homenagem foi entregue na quarta-feira (26), pelo secretário de Cultura, Paulo Pedrozo, e pela diretora do Museu, Fabiane Moraes, em visita no Paço Municipal.

Paula afirmou ficar muito feliz em colaborar com uma mensagem para a cápsula do tempo e se mostrou curiosa em saber dos detalhes que motivaram a escolha pelas cartas para encerrar a programação comemorativa ao aniversário do Museu. “Essa história é muito interessante e merece ser contada. Sinto-me honrada em escrever uma carta com esse objetivo, pois perdemos o hábito de enviar cartas e é uma coisa tão bonita e pessoal”, disse a prefeita.

De acordo com Fabiane, a atividade foi pensada para estabelecer uma relação com as cartas trocadas entre a baronesa Amélia e a filha Sinhá, prática escolhida para embasar todas as atividades previstas. Além disso, após dois anos de pandemia do coronavírus, em que a comunicação foi tão importante para o processo de prevenção contra a doença, a troca de correspondências também precisa ser lembrada, pois era a maneira de comunicar da época em que mãe e filha viveram no casarão histórico, e, depois, quando Amélia se mudou para o Rio de Janeiro e precisava manter contato com o restante da família.

O secretário Pedrozo também destacou que a carta da prefeita, acompanhada de estudantes das escolas da rede municipal, estadual e privada e de representantes de outras instituições, ajudará a contar a história da cidade para quem abrir a cápsula daqui a 10 anos, para quando está previsto ser desenterrada. “Vamos ver como estará nossa cidade, o que foi feito nesse período, saber o que os cidadãos pensavam na época, os assuntos que estavam em evidência, enfim, vamos lembrar da cidade de hoje”, afirmou.

A exibição do documentário Entre Amélias, nesta sexta-feira (28), no auditório do Casarão 6 da praça Coronel Pedro Osório, às 17h, também foi tratada no encontro. Após a apresentação, será aberta a exposição com as cartas trocadas entre a baronesa e a filha, na Sala Antônio Caringi, no Casarão 2, sede da Secretaria Municipal de Cultura.

Acompanharam a entrega do convite a equipe de conservadores e restauradores do Museu da Baronesa.

Enviar comentário

Envie um comentário!
Digite o seu nome