Pelotas abre dois novos abrigos

Espaços localizados no Laranjal e no Centro vão acolher famílias de áreas de risco que precisarem ser removidas. (Foto: Gustavo Vara)

A Prefeitura de Pelotas disponibiliza desde a tarde deste domingo (5) mais dois abrigos para acolhimentos das pessoas atingidas pelo avanço das águas em áreas consideradas de risco na cidade. Além do abrigo já instalado, no salão paroquial João Paulo 2º, na Colônia de Pescadores Z3, outros dois já estão em condições de receber a população: na Escola Estadual Edmar Fetter, na rua cinco, 100, no Laranjal, e o outro no ginásio da antiga AABB, agora da UFPel, na rua Alberto Rosa, 580, no centro.

Em vistoria aos pontos dos novos abrigos e também ao trabalho de reforço na infraestrutura do dique na Estrada do Engenho, a prefeita Paula Mascarenhas destacou neste domingo a importância deste trabalho de auxílio às famílias e também de melhoria para ampliação da contenção das águas. “Na Z3 já estamos com bastante famílias no nosso abrigo, no Laranjal já chegaram as primeiras pessoas. Estamos trabalhando muito, fazendo a nossa parte caso haja necessidade, a orientação do Estado é para retirar as pessoas destas áreas de risco neste momento. Estamos monitorando toda a situação, recebemos a notícia de que as água estão fluindo para o mar, mas temos que estar preparados porque a gente sabe que ainda vem muita água, considerando ainda que qualquer mudança de vento pode alterar o cenário”, afirmou ela.

As duas novas instalações vão atender comunidades próximas: para a escola Edmar Fetter estão sendo direcionadas as famílias do Pontal da Barra. No ginásio da antiga AABB serão alojados os moradores da região das Doquinhas, na zona do Porto, caso haja necessidade.

Melhorias na infraestrutura

Além do reforço das barreiras de contenção das águas na região do Quadrado, no Porto, o dique localizado na Estrada do Engenho também recebeu melhorias preventivas para impedir ou dificultar possíveis alagamentos. No local, a estrutura foi elevada por cerca de 500 metros com aterro e cascalho, ampliando em 80 centímetros a altura do dique. Na extensão entre a rua Tiradentes e o clube Saldanha da Gama, uma barreira com sacos de areia foi erguida por equipes do Sanep e da Sersul, por cerca de 300 metros, também com 80 centímetros de altura.

Conforme a Defesa Civil, os locais considerados mais críticos, com risco de inundação devido à elevação do nível das águas, são o Cedrinho e Junquinho, na Colônia Z3; Pontal da Barra, no Laranjal; Doquinhas e proximidades da ponte sob o Canal São Gonçalo. As equipes seguem monitorando as demais áreas.

Níveis da água e abrigos

Por volta das 15h, a Lagoa dos Patos marcava 1,70 metro na régua do Trapiche. A leitura no Canal São Gonçalo chegou aos 2,02 metros. Embora tenha ultrapassado a cota de inundação, até o início da noite deste domingo ainda não havia relatos de invasão das águas nos locais próximos.

Até as 17h, o abrigo da Z3 já contava com 29 famílias, cerca de 82 pessoas instaladas. Para um espaço do local também foram destinados mais de 20 animais, entre cães, gatos e aves. O abrigo da Escola Edmar Fetter recebeu no final da tarde nove famílias, cerca de 18 pessoas da região do Pontal da Barra, além de dois cães.

Já o espaço montado no ginásio da antiga AABB está preparado para receber moradores da região das Doquinhas e da ponte próxima ao Canal São Gonçalo, caso seja preciso.

Como solicitar ajuda

As ações de resgate e auxílio às famílias são feitas por meio de um trabalho integrado entre diferentes forças de segurança e serviços públicos, como Defesa Civil, Bombeiros, Exército, Guarda Municipal e equipes das secretarias municipais de Assistência Social, Saúde, Serviços Urbanos, Obras e Sanep.

Para quem está em alguma área que ofereça risco devido a inundações e precise deixar o local e se dirigir a um dos abrigos deve entrar em contato com algum dos seguintes órgãos: Guarda Municipal (153), Corpo de Bombeiros (193), Brigada Militar (190), Defesa Civil (153) e Prefeitura (53) 9130.5062 (WhatsPel).

Solidariedade

Na sede da Secretaria de Assistência Social (SAS), uma grande corrente de solidariedade mobilizou mais de 100 voluntários ao longo deste domingo no trabalho de recebimento, triagem e distribuição e carregamento dos donativos que chegam a todo instante. Todos os artigos doados são separados e organizados em sacolas para serem encaminhados aos abrigos e às comunidades que estejam precisando. Uma logística também está sendo pensada para também encaminhar parte das doações a outros municípios do estado que foram duramente atingidos com as inundações.

Como ajudar

Doações de alimentos não perecíveis (principalmente), água, material de higiene e limpeza, roupas, cobertas e calçados podem ser feitas em dois pontos no centro: na prefeitura, em frente à praça Coronel Pedro Osório, e na sede da Secretaria de Assistência Social, na rua Deodoro entre Dom Pedro e Três de Maio. Quem quiser e puder ser voluntário junto aos abrigos pode se colocar à disposição por meio do WhatsPel. Todas as doações serão utilizadas no atendimento às pessoas que estão nos abrigos temporários.

Pontos de doação

– Prefeitura de Pelotas – Praça Cel Pedro Osório, 101, centro
– Secretaria de Assistência Social, rus Deodoro, 404, centro

Voluntários

– Podem fazer contato pelo Whatspel – (53) 9130.5062

Enviar comentário

Envie um comentário!
Digite o seu nome