Pelotas: Medicina da UCPel celebra seis décadas com apresentação de novos investimentos

Ampliação da estrutura do Campus Dr. Franklin Olivé Leite foi destaque no evento que reuniu egressos da primeira turma e autoridades. (Foto: Divulgação/UCPel)

A abertura das comemorações dos 60 anos do curso de Medicina da Católica de Pelotas (UCPel) reuniu autoridades, egressos das turmas iniciais e atuais da graduação, docentes e discentes. Voltada para relembrar o passado e projetar o futuro, a celebração resgatou momentos marcantes, assim como apresentou a nova estrutura do Campus Franklin Olivé Leite.

Para o reitor da UCPel, José Carlos Pereira Bachettini Júnior, a cerimônia foi um momento ímpar, por reunir o primeiro coordenador do curso, Moacyr Jardim, com o atual, Cayo Lopes. “Iniciamos a transformação quando definimos que iríamos ensinar atendendo, modificando a vida de jovens acadêmicos e também dos nossos pacientes”, disse.

Sem esquecer a tradição e a vocação para um ensino humanizado, a nova fase do curso, voltada para a formação do médico do futuro, foi apresentada. Novos espaços tecnológicos, como o Hospital de Simulação Realística, estarão associados a uma estrutura física adequada, pensada para propiciar uma formação de profissionais com habilidade técnicas e comportamentais.

As obras dos novos prédios já alteram a paisagem do Campus, que ganhará acréscimo de 8 mil metros quadrados de área construída, com investimento de cerca de R$15 milhões de recursos próprios da UCPel. É considerado destaque da obra o prédio da Morfologia, com 1.800 metros quadrados divididos em três andares, vários laboratórios, salas de aula, além de um anfiteatro com 180 lugares.

Resgate da memória

Conforme Bachettini, só é possível planejar o futuro observando o passado. O primeiro curso de Medicina de Pelotas foi uma aposta ousada de duas personalidades: Dom Antônio Zattera e do médico Franklin Olivé Leite. Em 15 de dezembro de 1962, o Conselho Universitário da UCPel aprovou a fundação do curso.

Formando na primeira turma de 1968, o médico Tomaz Pizarro lembrou do anúncio de criação do curso feito por Dom Antônio na noite de natal, em que o bispo falava que a graduação seria um presente para Pelotas. “Isso mudou o cenário da região, pois antes só tínhamos duas faculdades de medicina no estado: em Porto Alegre e Santa Maria”, relembra.

O primeiro professor do curso, Moacyr Jardim, lembrou dos percalços enfrentados nas primeiras aulas, como a dificuldade de conseguir um professor na área da morfologia. “Esses 60 anos passaram tão rapidamente que parece que foi ontem. Nós éramos uma equipe, não existia professor e aluno, éramos um grupo criado para fazer o curso de medicina”.

O chanceler da UCPel e arcebispo de Pelotas, Dom Jacinto Bergmann, relatou do orgulho de ser sucessor de Dom Antônio e continuar conduzindo a sua obra. “Dentre todos os homenageados nessa cerimônia, o professor Jardim representa vivamente todos que não estão aqui”.

Homenagem

À frente da ampliação do curso de Medicina, atualmente considerada a maior escola médica do estado, o reitor da UCPel recebeu uma homenagem do corpo docente e administrativo da universidade. O chanceler da UCPel, Dom Jacinto, e os pró-reitores, Ezequiel Megiato e Magda Westermann, entregaram uma placa de agradecimento pela dedicação de Bachettini, que assumiu a reitoria da UCPel em janeiro de 2012 e liderou a reestruturação financeira da instituição.

O evento também ficará marcado pelo descerramento da placa que marca a ampliação do Campus Franklin Olivé Leite. Ela será fixada no primeiro semestre de 2023 no novo prédio que irá abrigar consultórios de quatro especialidades médicas.

Enviar comentário

Envie um comentário!
Digite o seu nome